27 de set de 2010

A Herança de Claudinho

"Claudinho é mais forte morto do que vivo" (Léo da UPMMR).
Post editado em 2010

A Rocinha é um grande reduto eleitoral. Na imensa favela com população estimada entre130 mil e 150 mil habitantes, o número de eleitores é relativamente pequeno. Não passa de 35 mil. Mas a disputa pelos votos atrai candidatos. Na eleição municipal de 2008 Luis Claudio de Oliveira o Claudinho da R1 elegeu-se vereador pelo PSDC com 11.513 votos, sendo 8.235 na Rocinha. Claudinho era presidente da maior das três associações de moradores e também de maior visibilidade, a União Pró Melhoramentos de Moradores da Rocinha (UPMMR)sucedendo a William de Oliveira o William DJ, que teve mandato tumultuado. William sofreu diversas acusações, respondendo processo e foi obrigado a se afastar do cargo. Em seu lugar ficou Lino Santos Filho, o Tio Lino que dirige um centro de artes no final do Valão. Claudinho concorreu contra quatro candidatos para a associação de moradores, e teve como sucessor na UPMMR, Antonio Xaolin que ficou pouco tempo na presidencia da associação.
Valdemar e Claudinho foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Xaolin foi indicado para deputado federal pelo seu partido, PCdoB. Para isso terá de conseguir pelo menos 40 mil votos, tarefa um pouco difícil. Claudinho morreu em 19 de junho deste ano, sendo diagnosticado ataque cardíaco. Havia acusações contra ele de densas ligações com o narcotráfico. Nada ficou provado. A maioria da população lamenta a morte de seu representante na Cãmara de Vereadores e seu espólio eleitoral está sendo disputado voto a voto. Segundo opinião de vários moradores a eleição vai ser pulverizada para deputado estadual, sendo que André Lazzaroni do PMDB é quem deve herdar a maior parte dos eleitores de Claudinho. André está coligado a candidatos de várias tendencias, produzindo um grande arco de alianças, desde políticos considerados progressistas como Marcelo Sereno do PT até candidatos de tendencias moderadas como Pedro Jorge. Em recentes declarações o candidato declarou que "jamais farei ligações com o poder paralelo" promessas que dificilmente serão cumpridas. O poder do narcotráfico é muito forte, o "olho que tudo vê" controla tudo na imensa favela, e os passos, as promessas e os compromissos dos candidatos vão ser cobrados, com juros e correção monetária. Na Via Ápia, na entrada da Rocinha um carro de som repetia sempre o mesmo refrão: "Vote em André Lazzaroni, ele é apoiado pela nossa Rainha, a mãe Dilma que vai rogar por nós". Na Rocinha a eleição é familiar.De mãe pra filho.

16 de set de 2010

Princesa da Dinamarca Visitou a Rocinha

A princesa da Dinamarca Marie Elisabeth em setembro de 2010 visitou o Centro Municipal Rinaldo Delamare na rua Berta Lutz onde também funciona o Posto de Saúde Albert Sabin. Marie Elisabeth ficou admirada com a enorme favela e com alegria das crianças da Rocinha. Ela teve encontro com representantes da Secretaria de Saúde e fez doações prometendo estreitar a colaboração de seu governo para melhoria das condições sanitárias da favela. A Rocinha têm um dos maiores índices de tuberculose do estado,doença que têm se manifestado de modo alarmante, principalmente devido às péssimas condições sanitárias da localidade, provocando altos indices de mortalidade devido à propagação da doença, apesar dos esforços da sua diretora "Helena do Posto" que conhece como ningúem os meandros da enorme favela.

8 de set de 2010

Largo do Boiadeiro um bom programa aos domingos

 UM PONTO DE ENCONTROS NA ROCINHA NAS MANHÃS DE DOMINGO
OBRAS PROMETIDAS PELO PAC-1 NÃO FORAM FEITAS
AGORA COM O GOVERNO TEMER OBRAS NUNCA MAIS, O LARGO VIROU PONTO DE MOTO-TAXI 

fotos Alcyr Cavalcanti all rights reserved
A Feira aos Domingos no Boiadeiro é um ponto de encontro para encontrar produtos típicos do Nordeste e um bom passeio nas manhãs de domingo. O Largo do Boiadeiro esperou as prometidas obras que iriam transformá-lo. As obras prometidas em sucessivas campanhas eleitorais não saíram do papel. Agora com o impedimento de Dilma Roussef e o governo Temer é que nunca mais serão feitas, devido ao corte de verbas nas obras do PAC.  O Largo em vez da urbanização ganhou um ponto de moto-taxi. O Largo do Boiadeiro também é o ponto comercial da Rocinha, onde muitos negócios são feitos acompanhados de uma dose de Marimbondo, a cachaça que segundo Pedrinho um cearense filho de Ipú que já foi dono do 03, é a bebida que morde o fígado e clareia as ideias. É também uma passagem obrigatória para quem deseja se dirigir para o alto da favela sem usar veículo de locomoção caminhando a pé através de suas estreitas vielas. No Largo existem mais de uma dezena de pequenos bares, uma churrascaria, que dizem que já foi do Denys, o "chefe do morro" durante mais de uma década, um armazem com produtos do Nordeste, barracas que vendem desde animais abatidos a "ervas de santo" para curar males do corpo, mas principalmente os males da alma. Existe também uma igreja católica e um prédio de três andares. Aos domingos no Largo é montada uma grande feira com produtos nordestinos, a segunda maior do Rio, que rivaliza com a Feira de São Cristóvão. A feira aos domingos é também um grande ponto de encontro das pessoas que moram nos 17 sub-bairros da favela com amigos e parentes que migraram para outras localidades, animados pelo som de violeiros e repentistas, discípulos do Cego Aderaldo, o maior de todos. Mas nem todos gostaram das mudanças ocorridas na feira. Moradores mais antigos entre eles Antonio Trajano,velho patriarca que foi lider comunitário durante vários anos reclamam da pretensa modernização da feira, da perda de suas verdadeiras raízes, da transformação da venda somente de produtos nordestinos em uma "feira livre" desde quando a feira, como aliás muitas coisas no morro passou a ser controlada pelos meninos do movimento. Os feirantes passaram a pagar um pequeno imposto ao "dono do morro" para poder funcionar conforme as leis da localidade. É o velho lema: "Manda Quem Pode, Obedece Quem Tem Juízo".

foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Os moradores da Rocinha estão desiludidos e já perderam a paciência com as prometidas obras de urbanização, que iriam transformar o Largo em uma bela praça. conforme promessas feitas pelo governo federal no Programa de Aceleração do Crescimento-PAC há nove anos atrás, mas até agora nada foi feito.

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna