1 de jul de 2013

COPA DAS MANIFESTAÇÕES

Brasil campeão na bola e nos protestos




A vitória incontestável da seleção brasileira deu alegria merecida e provavelmente fugaz a um povo que tem sido constantemente explorado em vários níveis. A truculência policial durantes os protestos nas principais cidades, em especial no Rio de Janeiro e São Paulo contra um péssimo sistema de transportes tem mostrado um despreparo do aparato policial que pode levar a uma escalada da violência a níveis incontroláveis. Ameaças, agressões, emprego de armamento não letal, mas que pode levar à morte desde que usado indiscriminadamente, tem vitimado não só jornalistas que estavam somente cumprindo a tarefa de informar à população, mas também atingindo manifestantes que pacificamente estavam protestando contra uma serie de desmandos por parte dos governantes, que arrecadam montanhas de dinheiro e muito pouco oferecem em troca. Causa surpresa que um Estado que se diz democrático-popular fique agindo como em tempos sombrios onde tudo era proibido, principalmente o direito à informação. Desde os primeiros protestos o aparato repressivo ficou voltado para profissionais da imprensa que estavam procurando registrar momentos para a historia.
No Rio de Janeiro a violência policial atingiu o ponto máximo durante as manifestações do dia 20/06 onde mais de 400 mil pessoas protestaram inicialmente de forma pacífica. A maior parte dos protestos foi dirigida ao Governo Estadual, principalmente contra os gastos excessivos na reforma do "Novo Maracanã", com orçamento inicial de pouco mais de R$600 milhões, que passou como num golpe de mágica para um bilhão e duzentos milhões de reais, podendo ser reajustado conforme declarações do governador Cabral que alegou "fatores imprevisíveis". Apesar da beleza arquitetônica o preço dos ingressos segundo o "Padrão Fifa" tem afastado o povão do antigo Templo do Futebol. Enquanto a torcida vibrava com os dribles de Neymar manifestantes do lado de fora foram encurralados pela tropa com cassetetes, bombas e armamento de "efeito moral". O Padrão Fifa tornou-se um critério de qualidade, mas foi adotado somente no estádio, enquanto isso escolas e hospitais ficam abandonados, professores e médicos tem precárias condições de trabalho e salários aviltantes trabalhando em uma outra realidade, em um "Padrão Cabral" onde a propaganda não corresponde aos fatos.


A população tem se sentido acuada, a violência tem se generalizado, carros de reportagem tem sido incendiados, jornalistas vitimados, lojas saqueadas em uma situação que foge ao controle, podendo levar a uma luta de todos contra todos



A sociedade espera respostas imediatas por parte dos governantes que ainda não estão acreditando na revolta popular. Foram anos e anos da mais completa indiferença face aos problemas que poderiam e deveriam ter sido solucionados, pelo menos em parte. Acorda Brasília.
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna