30 de ago de 2014

CADÊ AS VIGAS DA PERIMETRAL??

OH SEU CRIVELLA ONDE ESTÃO AS VIGAS DA PERIMETRAL ?
TRISTEZAS NÃO TEM FIM E A ROUBALHEIRA TAMBÉM
Na época da eleição os dois candidatos à sucessão de Eduardo Paes teriam de dar resposta a uma pergunta que nunca teve resposta sobre um misterioso desaparecimento. Faz algum tempo sumiram vigas de 40m pesando 20 toneladas cada uma do Elevado da Perimetral. Estavam em um deposito no Caju. Segundo matéria de O Globo o prefeito Eduardo Paes teria dito que "Queria levar pedaços das vigas para a residência oficial dele na Gávea Pequena", quem sabe daria uma bela obra de arte. Agora o prefeito eleito pelo voto, o bispo e ex-ministro Marcelo Crivella, tem a obrigação de dar uma resposta aos milhões de moradores sobre o "milagroso desaparecimento" de vigas pesando toneladas.
Photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved
A Arena Maracanã que já foi o "Maior Estádio do Mundo" teve uma curiosa matemática, saltou bruscamente de R$750 milhões para mais de R$ 1bilhão e 200 milhões em alguns dias. A inventividade da ladroagem é sensacional e mais eficiente do que os "bola murcha" que brincam de governar. Sumiram 24 trens, sim vinte e quatro trens antigos de um depósito superseguro. A Supervia nada sabe, assim como as "autoridades".

Um protesto solitário photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved


Ninguém sabe ninguém viu, é a velha lei da selva, que os italianos chamam de omertá, a velha lei do silêncio.
photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Como e não bastasse o desaparecimento das vigas da perimetral, um conjunto de 35 peças metálicas que seriam usadas para os trilhos dos bondes de Santa Teresa desapareceram como por encanto.
Muitas pessoas acreditam que da mesma maneira que as vigas, as peças foram abduzidas por um disco voador e levadas para uma galáxia distante, ou quem sabe para o planeta Marte.
A fotografia é polissêmica, mas às vezes vale mais do que mil palavras.
photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved

O espírito jocoso do carioca que das maiores tristezas faz um samba, de um limão faz uma limonada como repete como um mantra tibetano minha querida Regina Lucia, consegue pela crítica debochada resumir a voz das ruas. A crítica de um poeta da nobre arte dos muros cinzentos da outrora cidade maravilha, qual um novo Jean-Michel Basquiat resume a pergunta que não quer calar? "Cadê as Vigas da Perimetral?"
Abram o olho eleição vem aí....

17 de ago de 2014

ELEIÇÕES 2014

Rocinha espera dias melhores em 2015
Candidata Marina do PSB faz campanha na Rocinha
atualizado em 31 de agosto de 2014.
Os moradores da "maior favela da América do Sul" aguardam ansiosos que os candidatos à presidência deixem os gabinetes luxuosos e venham fazer um passeio pelo "wild side", de preferência no inicio da noite, circulando a pé pelos becos e vielas, começando o tour pelo Valão e bebendo uma cachaça na Rua1 ou na Rua2, talvez assim conheçam melhor os inúmeros problemas que atormentam os moradores.

O Valão é uma das áreas que espera as melhorias prometidas

Sábado dia 30 a candidata do PSB Marina Silva resolveu dar um passeio pela Rocinha, é pena que veio durante o dia, de noite o "buraco é mais em baixo", os "vampiros" deixam as tocas e circulam livremente pelos becos. Mas a candidata pelo menos veio, guiada por Romário, candidato a senador que lidera as pesquisas. Romário conhece muito bem os inúmeros problemas da "Roça" e critica o pouco investimento feito pela presidente Dilma através do PAC. Desde muito jovem Romário frequenta a favela e tem ajudado a localidade em algumas ocasiões, e mesmo como campeão mundial comparecia aos torneios de futebol, como o Rocinha sem Fome. Se for eleito senador ele poderá ser um porta voz das favelas cariocas junto ao Senado Federal.
A Secretaria de Segurança entregou documento ao desembargador Fábio Uchôa, no qual candidatos estariam impedidos de transitar pedindo votos, em mais de 40 favelas. A Rocinha estaria incluída no relatório. Foi pedido reforço de segurança e a presença da Força Nacional para que os candidatos possam percorrer livremente as localidades, sem serem ameaçados.
A súbita morte de Eduardo Campos que colocou Marina Silva como peça chave na eleição de outubro, não deve ter muita influência na Rocinha. Seu partido o PSB não tem ainda raízes na localidade. A imensa população da "maior favela da América do Sul" espera dias melhores com os novos governantes. As eleições estão chegando, e os candidatos começam a caminhar entre os becos e vielas, driblando milhares de valas negras para conseguir os votos dos mais de 35 mil eleitores distribuídos em seus dezoito sub bairros. A Rocinha já elegeu dois representantes, Luis Carlos Batista, eleito com votação expressiva, dono dos pontos de bicho da Rocinha e Vidigal e fundador da GRES Acadêmicos da Rocinha, que morreu assassinado na porta da escola, e Luis Claudio de Oliveira o Claudinho da R1, presidente da UPMMR, eleito vereador mas que não completou seu mandato. Faleceu em condições ainda mal explicadas.
A Rocinha espera ,que se não todas, mas muitas de suas reinvindicações sejam atendidas. Pedem principalmente saneamento básico, melhoria de transporte, urbanização e melhores condições de moradia. O candidato Anthony Garotinho (PR),que lidera as pesquisas ao governo estadual, fez um tour pela favela acompanhado por P.C. Valério candidato a deputado estadual pelo mesmo partido. Valério foi da Rad io comunitária Katana e secretário da União Pró Melhoramentos dos Moradores da Rocinha-UPMMR, a maior das três associações de moradores. Garotinho também foi em busca do apoio do candidato a deputado estadual Valdemar do Gás morador da Vila Verde, que foi vice-presidente da UPMMR na chapa vencedora com Claudinho da R1.Garotinho durante seu trajeto negou fazer qualquer acordo com o narcotráfico, e diz que tem entrado e vai entrar em qualquer favela porque é respeitado pelos moradores, e não por uma permissão dos traficantes. Na maior parte das favelas, para entrar, e principalmente para poder sair, é necessário um "passaporte" carimbado pelos chefes do tráfico.

Em recente pesquisa feita em dez estados e também na Rocinha, por Renato Meirelles do Instituto Data Popular e Celso Athayde da Central Única de Favelas-CUFA e publicada no livro Um País Chamado Favela, verificaram que "os moradores das favelas são imediatistas e olham para a frente (o futuro) e apostam em quem vai fazer mais por elas a partir de agora". Esperam principalmente que as promessas sejam cumpridas, e não sejam apenas palavras vazias, feitas para enganar o eleitor.

Ver também o post "Eleições 2012, doze candidatos uma vaga"

6 de ago de 2014

UM TEMA LIVRE

AGRESSÕES A JORNALISTAS EM DEBATE


Tema Livre é um programa da Radio Nacional AM apresentado por Luis Augusto Gollo experiente jornalista, que assim como eu trabalhou no finado Correio da Manhã cuja redação ficava em frente ao prédio da TV Brasil onde hoje funciona a radio. O tema do programa da quarta feira 06 de agosto do qual participei, junto com as jornalistas Claudia de Abreu e Raquel Boechat foi a crise que envolve os jornalistas, principalmente após os episódios de quinta feira na saída de três ativistas do Complexo Penitenciário de Bangu (Gericinó, onde o repórter fotográfico Andre Mello do jornal O Dia e Tiago Ramos repórter cinematográfico do SBT foram agredidos a socos e pontapés por pessoas que esperavam a saída dos ativistas na tentativa de impedir o registro por imagens. No dia seguinte, sexta feira a diretoria do sindicato cedeu a pedido do Grupo Tortura Nunca Mais e do Grupo Justiça Global o auditório João Saldanha , na tentativa de um dialogo esclarecedor. No final da reunião não houve entendimento entre os manifestantes, nem entre os jornalistas que foram à reunião. Não pude comparecer, estava no mesmo horário no Jornal do Rio na SBT falando sobre os acontecimentos da noite anterior em nome da Comissão de Liberdade de Expressão e Direitos Humanos da Associação Brasileira de Imprensa-ABI. Durante o trajeto dei por telefone entrevista para o repórter Bruno Amorim de O Globo, que na página 12 reproduziu fielmente minhas declarações que transcrevo aqui: "A agressão de manifestantes contra jornalistas que faziam a cobertura da libertação de ativistas que estavam presos no Complexo de Bangu foi repudiada por entidades de classe e de defesa dos direitos humanos, Membro da Comissão de Direitos Humanos da ABI Alcyr Cavalcanti classificou a atitude do grupo como "um tiro no pé", uma vez que a mídia defende o direito de manifestação". E afirmei: "Trata-se de uma atitude desesperada e equivocada e que não vai levar a nada. Agredindo a imprensa eles (os ativistas) ficam sem defesa".


No SBT A apresentadora Michele Benito também abordou as agressões da noite anterior, em especial ao cinegrafista Tiago Ramos que trabalha para a emissora. Fiz ver a ela que não compreendia a violência exacerbada contra profissionais no exercício de suas funções, principalmente porque as imagens iriam mostrar momentos de alegria, na soltura de Elisa Quadros, Camila e Igor. Ao meu ver as imagens seriam amplamente favoráveis e simpáticas ao grupo, após uma prisão arbitrária, prontamente corrigida pelo desembargador Siro Darlan. Critiquei também a violência quase diária contra os profissionais de imagem e citei a covarde agressão feita por um policial militar contra o documentarista canadense Jason O'Hara, que mesmo caído foi chutado na cabeça e teve seu equipamento roubado. Defendemos o direito de livre manifestação e consideramos injustificável a tentativa do aparelho de Estado ao impedir pela força a cobertura jornalística dos protestos próximos ao Maracanã durante o jogo final da Copa 2014.
A Comissão também solidarizou-se com a atual diretoria do Sindicato, em especial com a presidente Paula Mairan, que tem sido acusada indevidamente por não defender a categoria, e proteger ativistas. O fato provocou uma listagem pedindo a renuncia da diretoria atual, por ter infringido o código de ética. O abaixo assinado foi prontamente assinado por colegas que assinaram sob emoção, sem fazer uma análise, e mormente uma auto análise. Correu também um manifesto de apoio á atual diretoria, que ao nosso ver esteve sempre em defesa dos jornalistas em todas as situações. A diretoria provisória da ABI na pessoa do presidente provisório Tarciso Holanda acolheu a listagem pedindo a deposição da Paula Mairan e da diretoria, sem sequer ter consultado ambas as partes. Como tem sido o habito do site, foi feito um resumo do noticiário das principais agencias, sem verificar a veracidade e sem dar voz às partes interessadas, inclusive tendo oferecido o auditório para uma das partes, justamente aquela que intempestivamente pede a deposição da diretoria. Já dizia Karl Marx que os fatos da história quando ocorrem duas vezes, a primeira vez aparecem como tragédia e a segunda vez como farsa. Em meados dos anos noventa uma diretoria do mesmo sindicato foi afastada em uma assembleia histórica na mesma ABI. Os tempos eram bem outros. A diretoria estava envolvida em processo na Policia Federal por registros de jornalistas, considerados irregulares. A diretoria atual não tem praticado irregularidades, tem se mostrado combativa, e tem defendido sim os interesses na categoria, principalmente em questões que envolvem violência urbana, um fenômeno difuso que tem qual uma epidemia assolado todo o pais, onde manifestantes equivocados ainda usam praticas politicas ultrapassadas, próprias do século XIX, revividas nos anos sessenta do século passado, o uso da violência e da destruição contra tudo e contra todos, onde não haverá nem vencedores nem vencidos. Todos sairão derrotados.
Para finalizar encerro a postagem com uma citação de Piotr Kropotkin que julgo oportuna: "Um edifício baseado em alguns anos de história não se destrói com alguns quilos de explosivos"

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna