6 de ago de 2014

UM TEMA LIVRE

AGRESSÕES A JORNALISTAS EM DEBATE


Tema Livre é um programa da Radio Nacional AM apresentado por Luis Augusto Gollo experiente jornalista, que assim como eu trabalhou no finado Correio da Manhã cuja redação ficava em frente ao prédio da TV Brasil onde hoje funciona a radio. O tema do programa da quarta feira 06 de agosto do qual participei, junto com as jornalistas Claudia de Abreu e Raquel Boechat foi a crise que envolve os jornalistas, principalmente após os episódios de quinta feira na saída de três ativistas do Complexo Penitenciário de Bangu (Gericinó, onde o repórter fotográfico Andre Mello do jornal O Dia e Tiago Ramos repórter cinematográfico do SBT foram agredidos a socos e pontapés por pessoas que esperavam a saída dos ativistas na tentativa de impedir o registro por imagens. No dia seguinte, sexta feira a diretoria do sindicato cedeu a pedido do Grupo Tortura Nunca Mais e do Grupo Justiça Global o auditório João Saldanha , na tentativa de um dialogo esclarecedor. No final da reunião não houve entendimento entre os manifestantes, nem entre os jornalistas que foram à reunião. Não pude comparecer, estava no mesmo horário no Jornal do Rio na SBT falando sobre os acontecimentos da noite anterior em nome da Comissão de Liberdade de Expressão e Direitos Humanos da Associação Brasileira de Imprensa-ABI. Durante o trajeto dei por telefone entrevista para o repórter Bruno Amorim de O Globo, que na página 12 reproduziu fielmente minhas declarações que transcrevo aqui: "A agressão de manifestantes contra jornalistas que faziam a cobertura da libertação de ativistas que estavam presos no Complexo de Bangu foi repudiada por entidades de classe e de defesa dos direitos humanos, Membro da Comissão de Direitos Humanos da ABI Alcyr Cavalcanti classificou a atitude do grupo como "um tiro no pé", uma vez que a mídia defende o direito de manifestação". E afirmei: "Trata-se de uma atitude desesperada e equivocada e que não vai levar a nada. Agredindo a imprensa eles (os ativistas) ficam sem defesa".


No SBT A apresentadora Michele Benito também abordou as agressões da noite anterior, em especial ao cinegrafista Tiago Ramos que trabalha para a emissora. Fiz ver a ela que não compreendia a violência exacerbada contra profissionais no exercício de suas funções, principalmente porque as imagens iriam mostrar momentos de alegria, na soltura de Elisa Quadros, Camila e Igor. Ao meu ver as imagens seriam amplamente favoráveis e simpáticas ao grupo, após uma prisão arbitrária, prontamente corrigida pelo desembargador Siro Darlan. Critiquei também a violência quase diária contra os profissionais de imagem e citei a covarde agressão feita por um policial militar contra o documentarista canadense Jason O'Hara, que mesmo caído foi chutado na cabeça e teve seu equipamento roubado. Defendemos o direito de livre manifestação e consideramos injustificável a tentativa do aparelho de Estado ao impedir pela força a cobertura jornalística dos protestos próximos ao Maracanã durante o jogo final da Copa 2014.
A Comissão também solidarizou-se com a atual diretoria do Sindicato, em especial com a presidente Paula Mairan, que tem sido acusada indevidamente por não defender a categoria, e proteger ativistas. O fato provocou uma listagem pedindo a renuncia da diretoria atual, por ter infringido o código de ética. O abaixo assinado foi prontamente assinado por colegas que assinaram sob emoção, sem fazer uma análise, e mormente uma auto análise. Correu também um manifesto de apoio á atual diretoria, que ao nosso ver esteve sempre em defesa dos jornalistas em todas as situações. A diretoria provisória da ABI na pessoa do presidente provisório Tarciso Holanda acolheu a listagem pedindo a deposição da Paula Mairan e da diretoria, sem sequer ter consultado ambas as partes. Como tem sido o habito do site, foi feito um resumo do noticiário das principais agencias, sem verificar a veracidade e sem dar voz às partes interessadas, inclusive tendo oferecido o auditório para uma das partes, justamente aquela que intempestivamente pede a deposição da diretoria. Já dizia Karl Marx que os fatos da história quando ocorrem duas vezes, a primeira vez aparecem como tragédia e a segunda vez como farsa. Em meados dos anos noventa uma diretoria do mesmo sindicato foi afastada em uma assembleia histórica na mesma ABI. Os tempos eram bem outros. A diretoria estava envolvida em processo na Policia Federal por registros de jornalistas, considerados irregulares. A diretoria atual não tem praticado irregularidades, tem se mostrado combativa, e tem defendido sim os interesses na categoria, principalmente em questões que envolvem violência urbana, um fenômeno difuso que tem qual uma epidemia assolado todo o pais, onde manifestantes equivocados ainda usam praticas politicas ultrapassadas, próprias do século XIX, revividas nos anos sessenta do século passado, o uso da violência e da destruição contra tudo e contra todos, onde não haverá nem vencedores nem vencidos. Todos sairão derrotados.
Para finalizar encerro a postagem com uma citação de Piotr Kropotkin que julgo oportuna: "Um edifício baseado em alguns anos de história não se destrói com alguns quilos de explosivos"
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna