26 de fev de 2015

REGINE'S ONDE A NOITE ERA UMA FESTA. PARTE II

A FESTA CONTINUA: DE CRISTINA ONASSIS A ALAIN DELON
A CORRIDA EM BUSCA DAS CELEBRIDADES
Tinha conseguido uma foto inédita da multimilionária Cristina Onassis, um "furo" e conforme a velha máxima dos caçadores de imagens "a imagem gera a noticia". A imagem e a "perseguição noturna" foram descritas na postagem anterior sobre a boate.   Mas o que fazer, eram três horas da manhã e ainda seria necessário revelar o filme. Fomos para casa dar um cochilo, para estar a postos na "caçada" às 7h da manhã. Fomos para a porta do Leme Palace Hotel, havia informações que ela estava no Leme, tinha fugido do Méridien por causa do assedio da imprensa. Ao chegarmos ao hotel, William, laboratorista do Globo e amigo do Luiz Fernando e eu tivemos uma grata surpresa, o editor de fotografia Erno Schneider e Sebastião Marinho haviam chegado bem antes, estavam lá desde as seis da manhã. Após cordiais cumprimentos e breve conversa, cada dupla para seu lado, afinal cada um com sua estratégia. Passaram-se as horas e nada da rica herdeira que controlava a maior frota de navios petroleiros do mundo aparecer. Já por volta de meio dia ela aparece andando pelo calçadão do Leme, estava hospedada não no hotel, mas em casa de amigos. Foi uma correria atrás da noticia, os tempos eram outros e ela estava sem seguranças, acompanhada apenas de um casal de amigos.

Cristina Onassis em Copacabana Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Foi uma saraivada de fotos, ela rindo, ela caminhando, ela comprando pedras preciosas como suvenir. Depois dos filmes revelados, a correria, meu nome não deveria aparecer, William também conhecido como brother, era de fato um irmão. Saiu vendendo as fotos como pode, e deu capa do Pasquim , com o título Pasquim revela Cristina Onassis, com a imagem mostrando parte da peça intima (calcinha), uma revelação na época. Um detalhe, tentamos vende a foto na boate para o JB, mas o Zózimo queria a foto como cortesia, de graça. Rejeitei com um sonoro palavrão, o que motivou uma desconfiança do colunista com um misto de ressentimento durante algum tempo.
Passou-se o tempo e comecei a ser designado pelo Globo para cobertura de desfiles de moda e de eventos sociais, Regine's e Hippopotamus concentravam as socialites, e o New Jirau em algumas noitadas fervilhava, graças ao carisma de Sergio Cavalcanti, que além de administrar o caos, bebia todas, de preferencia champanhe, que seus amigos frequentadores pagavam muitos e muitos dólares. Eu estava lá, com minha Nikon sempre a postos. Eu passei a ficar conhecido pois abastecia a coluna social da Perla Sigaud, assinada pela Hildegerd Angel, mas com o toque de seu marido João Resende frequentador das noites cariocas, uma pessoa extremamente simpática e profundo conhecedor dos meandros do jet-set internacional. A noite carioca fervilhava e o Regine's voltava a ser o local que concentrava a noite carioca, as pessoas voltavam a frequentar e aparecer nas colunas sociais. Veio o Carnaval 1978 e mais conhecido ator em todo o mundo foi convidado de honra, em sua homenagem foi dada uma mega festa, a boate ficou intransitável, todo o mundo queria estar perto de Alain Delon, que além de uma beleza invulgar, era um excelente ator, disputado pelos melhores diretores do mundo. Após o insucesso de um dos fotógrafos da equipe, que não fazia o estilo paparazzi, apesar de ser um excelente fotojornalista, fomos eu e o amigo Matias Resende, oriundo da Associated Press-AP estava no Globo, e viria a formar comigo uma dupla imbatível nas festas que não tinham fim. Conseguimos clicar o ator francês entrando na boate com apenas três "flashadas".
Marlene Alain Delon Mireille Darc photo Alcyr Cavalcanti rights reserved
 Dois dias depois veio a grande festa com Alain Delon como homenageado, mas com figuras ilustres como James Hunt campeão mundial de F1, Peter Frampton, Rod Stewart
e claro, Alain Delon sempre acompanhado de sua bela esposa Mireille Darc. Mesmo acompanhado, ou por esse motivo o assédio ao ator era algo inenarrável. Régine Schoukroum exultava, era da novo a "Rainha da Noite" no eixo Paris-Rio, a noite no Rio de Janeiro brilhava, Delon ia todas as noites para a boate alegrar a festa.

delon mireille e régine photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved

A festa no Regine's continua....

25 de fev de 2015

ATO EM DEFESA DA PETROBRAS NA ABI

ATO EM DEFESA DA PETROBRAS COMEÇA EM PANCADARIA
"A investigação, o julgamento e a punição dos corruptos e corruptores, doa a quem doer, não pode significar a paralisia da Petrobras e do setor mais dinâmico da economia brasileira"
Documento distribuído pela CUT E FUP

O Ato em defesa da Petrobras organizado pela Central Única de Trabalhadores-CUT e Federação Única de Petroleiros-FUP começou com um tumulto generalizado entre manifestantes pro e contra o Governo Dilma. A Policia Militar foi obrigada a intervir e interditou a Rua Araújo Porto Alegre onde fica a sede da Associação Brasileira de Imprensa-ABI para evitar novos conflitos, o que causou um enorme engarrafamento tornando o transito um verdadeiro caos, em uma cidade cujo centro é um enorme canteiro de obras sem data para terminar. O Ato marcado para as 18h só começou ás 19,22 minutos com a chegada do ex-presidente Lula, recebido em triunfo pelos manifestantes aos gritos de "Lula é guerreiro do povo brasileiro".

Foram então chamados ao lugar de destaque com várias cadeiras, ao invés do tradicional mesão devido ao grande número de convidados, principalmente de militantes do PT, além de pessoas ligadas ao partido como o cineasta Luis Carlos Barreto, o professor Luiz Pinguelli, Pedro Stedile do MST. do engenheiro Francis Bogossian e sua esposa Hildegard Angel, Roberto Amaral do Partido Socialista, mas com Lula como centro de atenções. Causou surpresa o não comparecimento da diretoria da ABI, inclusive de seu atual presidente Domingos Meirelles, que deveria compor a bancada de ilustres, visto a ABI ter sempre tido participação efetiva em defesa da Petrobras, desde a sua fundação.Em documento citado em epígrafe "Defender a Petrobras é Defender o Brasil" os autores pedem entre uma série de reivindicações que seja preservado papel estratégico da empresa e exige que a direção da Petrobras não vacile diante de pressões indevidas, nem fique sujeita à lógica de interesses privados, e pede a punição de todos os corruptos e corruptores.

Lula fez um discurso, embora visivelmente cansado exaltou as conquistas populares nos mais de dez anos de governo do PT, e conclamou a presidente Dilma "a dizer, eu ganhei as eleições, e levantar a cabeça" e convocou os presentes e todos para uma manifestação em frente à sede da Petrobras dia 13 de março.

23 de fev de 2015

CARNAVAL CARIOCA E A CHARGE PROIBIDA

ENQUANTO NA FRANÇA IMAGEM PROIBIDA PRODUZ TIROTEIO NOS BLOCOS
CARIOCAS É PURA ALEGRIA ONDE JUDEUS E MUÇULMANOS CELEBRAM JUNTOS

Na irreverência dos blocos até a charge proibida emotivo de alegria.  O carnaval 2015 foi a apoteose do capital. Quem tinha dinheiro divertiu-se à balda, quem não tinha nada ficou "batendo palma pra doido dançar". A ganancia, um desejo desenfreado de lucro a qualquer custo foi a tônica da Folia 2015. Os preços que já estavam no alto dispararam para a estratosfera, os vendedores de todas as categorias para todas as frações de classe enlouqueceram, como se não houvesse amanhã. O pavor da recessão criou o estranho fenômeno de preços exorbitantes. Cerveja foi vendida em alguns bares a R$ 12,00 a garrafa, uma dose simples de whisky servida em dedal foi vendida a R$30,00, churrasquinho de gato a R% 12,00. Mesmo assim foi um sucesso fazendo a alegria dos governantes e dos comerciantes que tiraram a forra da queda de vendas no Natal. A buraqueira estendida a toda cidade enlouqueceu os cariocas, que enfrentaram horas e horas em engarrafamentos quilométricos para chegar até o Centro ou até Ipanema, onde se concentravam os foliões.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Foi também o Carnaval do selfie a auto foto, o ápice do narcisismo em tempos de pós-modernidade Há alguns anos atrás a alegria era autentica o povão botava o bloco na rua, literalmente em quatro dias de folia. Começava às nove da manhã de sábado oficialmente, embora o Bloco dos Cornélios do Clube Democráticos insistisse em começar seu desfile na saída do baile às cinco da manhã.O carnaval terminava na terça feira. A quarta era de cinzas, de descanso para curar a ressaca e voltar ao dia a dia, quem desobedecesse era cadeia. O desfile das Escolas de Samba primavam pela simplicidade e por sambas enredo com muita poesia, sempre com dois compositores como no samba do Império Serrano que uso na epígrafe, uma autentica obra prima.
O samba da Beija Flor foi um arranjo, um mix de dez compositores, para agradar a todos, com um porém, não agradou a ninguém, vai cair no esquecimento. Não havia ainda o Sambódromo, e o desfile principal era na Avenida Presidente Vargas, cantando nossa cultura ou satirizando os desmandos dos políticos. Em um Carnaval de dez dias a cidade parou para festejar esquecer o desgoverno, o Petrolão, o "arco de alianças" a apoteose da roubalheira
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Acabou a Folia. Fica na cabeça de todos o samba antigo da União da Ilha "O que será do amanhã"?

16 de fev de 2015

REGINE'S: ONDE A NOITE ERA UMA FESTA




Festa Romana ao estilo Fellini photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
OS ANOS DOURADOS DA NOITE CARIOCA

A boate Regine's ficava no subsolo do Hotel Méridien no Leme, Zona Sul do Rio de Janeiro. De inicio era um clube privée, o charme era ter uma carteirinha de sócio para poder frequentar a mais bela casa noturna que a cidade maravilhosa veio a conhecer. O jet-set nacional e internacional batia ponto de segunda a segunda na época da disco-music com o som inigualável dos craques Amandio ou Ferrugem, que manejavam as carrapetas para animar a festa. A noite fervilhava, eram os anos setenta, e muita alegria, garrafas e mais garrafas de Veuve Cliquot e de Moet et Chandon eram consumidas pela juventude dourada em festas que pareciam não ter fim. Mas veio um dia, ou melhor uma noite em que a casa caiu. Claudia Lessin Rodrigues, uma linda jovem povoada de sonhos foi brutalmente seviciada e assassinada em uma noite de embalo, que havia começado no Regine's em julho de 1976.
photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 A bela jovem e seus acompanhantes eram frequentadores de carteirinha do Clube Privée. Claudia, fascinada pela alegria artificial foi levada para uma festa na Avenida Niemayer, onde o consumo de cocaína e outros estimulantes eram servidos "de bandeja". Seus acompanhantes eram figuras da noite internacional, Daniel Labelle sócio de Gunther Sachs Von Opel na Boutique Mic Mac na França, Georges Khour dono de um salão de beleza no Hotel Méridien e Michel Frank dono dos relógios Mondaine com sede na Suíça. Conheci Daniel Labelle em uma festa chinesa na casa de Ionita Guinle, que foi casada com Carlos Penafiel, perseguido pela ditadura, meu companheiro no Grupo Câmera de cinema. Na festa só havia dois jornalistas convidados, Rogério Carneiro e eu. Labelle era sempre convidado para festas das socialites do circuito Rio, São Paulo, Búzios, quando foi intimado a depor, voltou rapidamente para a França, Michel conseguiu ir para Suíça, mas Georges Khour foi preso e condenado embora as provas não fossem conclusivas. O laudo cadavérico foi mudado, havia muita gente fina envolvida e Claudia além de ter sido esganada, e seviciada foi atirada como um saco de lixo nas pedras da Avenida Niemayer, após a tentativa de jogá-la no mar. O corpo ficou preso nas pedras próximo ao Chapéu dos Pescadores, um platô frequentado por pescadores do Vidigal e da Rocinha. Eu trabalhava no Globo, estava no plantão da madrugada, todos os fotógrafos faziam um rodizio, exceto alguns "amigos de copo" do editor. Fui o primeiro a chegar, bombeiros estavam tentando tirar o corpo preso às pedras. Com o tempo a investigação chegou até o ponto inicial, a boate Regine's. A promoter da "boite de nuit" era a modelo Lauretta, de prestigio internacional, que tinha como uma das funções trazer pessoas de seu relacionamento para o Regine's.Era uma época em que os paraísos artificiais eram movidos à base muita cocaína, um privilegio dos mais contemplados pela fortuna. A entrada maciça do "diabo ralado" ainda não havia acontecido, era um privilegio dos muito ricos. O "Caso Claudia Lessin" abalou as estruturas da maior e mais seleta casa noturna da cidade, a policia suspeitava da casa ser também um ponto de venda de drogas. Era necessário fazer alguma coisa, havia muito dinheiro envolvido, além do prestigio abalado, o Hotel era famoso em todo o mundo, pertencia também à companhia aérea Air France. Começou então a época de grandes atrações internacionais, para de novo fazer a noite do Regine's brilhar.
Rod Stewart photo by Alcyr Cavalcanti allrights reserved
Conheci a grande noite carioca do Regine's levado pelo meu amigo Luiz Fernando Macambira, atualmente residindo na Côte d'Azur na França. Estávamos perseguindo a milionária Cristina Onassis (foto), que só poderia se divertir na noite carioca em um clube privée. Detalhe entrei como convidado e a carteirinha não era dele Luiz Fernando, mas de seu amigo Antenor Mayrink.
Cristina Onassis photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Fiquei extasiado com a beleza do jogo de espelhos e das luzes da boate. Sorrateiramente tirei a minha velha Nikon e disparei em direção à mulher mais rica do mundo. Chamaram a segurança, e depois do quarto clique fomos expulsos. Por sorte o porteiro da noite era um amigo, o fortão Helinho, a quem conhecia de Niterói. Ele me conduziu para fora, mas sem violência. Tempos atrás havia dado a ele uma foto dele com sua esposa. Gentileza gera gentileza. Havíamos montado uma equipe ao estilo paparazzi romano, onde as imagens faziam a notícia. Estávamos bem equipados, tínhamos automóveis, motos e até um helicóptero à disposição de três fotógrafos Luiz Fernando, Roberto Price e eu, e  a retaguarda de William brother, laboratorista do Globo . O negócio agora era correr atrás da mídia impressa, afinal eram duas da manhã. A festa e a correria atrás das celebridades vão continuar...

13 de fev de 2015

CARNAVAL 2015

BANDA DO MERCADO ABRE O CARNAVAL CARIOCA
A Folia já começou na quinta feira com a Banda do Mercado, que reuniu milhares de foliões para coroar sua rainha Deborah Carvalho, destaque da Escola de Samba Unidos da Tijuca.

O grande homenageado desse ano seria Zeca Pagodinho, mas foi impedido de participar por conselhos médicos para tratamento de saúde. A banda já homenageou figuras ilustres do carnaval carioca como Martinho da Vila, Ancelmo Góes e outros ilustres da cidade. Por imposição da prefeitura seu tradicional desfile pela Primeiro de Março não pode ser realizado e ficou limitado a uma voltinha pelo que restou da Praça XV.
Apesar das dificuldades com acesso cada vez mais difícil em função da enxurrada de obras, com buraco para todo lado e sem patrocinadores oficiais, somente com apoio do Restaurante Porto Novo antigo Mediterrâneo de Arturo Recarey, a Banda reuniu milhares de foliões com máscaras de protesto ao som de marchinhas antigas e de sambas enredo.

10 de fev de 2015

CARNAVAL DA PETROBRAS: APOTEOSE DA ROUBALHEIRA

SEDE DA PETROBRAS HIPOTECADA EM PLENO CARNAVAL
GRAÇA FOSTER DIZ ESTAR ENVERGONHADA

Após a apoteose da roubalheira, onde todo o mundo ou quase todos são suspeitos, a maior parte do Conselho Diretor da Petrobras passou o Carnaval em um retiro espiritual. A serie de desventuras continua em uma empresa que já foi a gloria nacional. A juíza da 25a Vara Cível/RJ Kátia Torres decidiu hipotecar o edifício da sede da empresa na Avenida Chile para garantir o pagamento de divida de R$935 milhões com a Refinaria de Manguinhos. Ninguém sabe o que poderá acontecer quando o ultimo bloco passar, na segunda feira 23 depois do "Desfile das Campeãs" no domingo 22 de fevereiro. As fantasias estão prontas e a máscara mais usada deve ser a de Graça Foster defenestrada do cargo de uma das maiores empresas do mundo. Corre por fora a do ex-diretor Nestor Cerveró, embora ações judiciais tentem impedir sua confecção.

A presidente Dilma já esgotou o estoque de Rivotril, e carrega um mau humor pra ninguém botar defeito. Dizem nos bares de Brasília que os cinzeiros e pratos tem sido atirados diuturnamente em direção a seus colaboradores mais diretos. As paredes do palácio tem tremido com os berros da senhora presidente em muitos acessos de fúria, contra objetos inanimados. A oposição que tem sido sempre derrotada nas urnas já fala em impeachment, contando para isso com o "fogo amigo" de companheiros que perderam as benesses que seriam distribuídas para seus "fiéis eleitores". A presidente parece estar ilhada, cercada por todos os lados, mas ainda com o apoio de milhões de eleitores, que esperam que ela tenha uma reação digna do cargo que ocupa, embora a "Novela da Petrobras" tenha causado um profundo desgaste em sua popularidade.

Para piorar as coisas o novo presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, que se auto intitula "defensor do Rio" conhecido por suas atitudes melífluas, e que oscilam conforme os ventos e tempestades já disse em alto e bom som que vai barrar tudo ou quase tudo que o Partido dos Trabalhadores apresentar, sejam ou não em beneficio da população. O que preocupa a todos, sem exceção é a linha sucessória, quem irá tampar o buraco, ou seja a cadeira do Planalto. Muitos perdem o sono, só de pensar que o vice é Michel Temer, o presidente do Senado Renan Calheiros e o presidente da Câmara Eduardo Cunha. Quem sobreviver verá...

8 de fev de 2015

CAÇADOR DE IMAGENS

Fotografias de Alcyr Cavalcanti, um mosaico multifacetado
A exposição fotográfica se apresenta como um mosaico multifacetado, com 34 fotografias impressas, e 200 imagens projetadas de uma trajetória de 45 anos mostra os contrastes da cidade maravilhosa desde a miséria das ruas até a opulência das noites cariocas na década de setenta.

foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Em busca de imagens pela cidade, como um autêntico caçador, Alcyr procura a verdade por detrás das aparências. Sua arma é a câmera fotográfica da qual não se separa nem para dormir. Com passagem pelos principais jornais e revistas, já transitou pelas diversas editorias e tendências do jornalismo. Já trabalhou entre outros no Correio da Manhã, Ultima Hora, Jornal do Brasil, O Globo, O Dia, Tribuna da Imprensa, Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, nas revistas Isto É, Placar.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Seu olhar foi apurado no dia a dia de pautas de jornais populares a revistas requintadas, sempre com um toque pessoal. Tem imagens publicadas nas revistas Vogue Brasil, Vogue Itália, L'Officiel, no jornal francês Libération e agencias internacionais.
Tem uma vasto e precioso arquivo da noite carioca nos anos setenta e oitenta como a imagem exclusiva de
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Pelé, Xuxa e Luiza Brunet nas noites douradas cariocas

A exposição fotográfica tem a curadoria de Rogério Reis e ficou mais de dois meses  de abril no CCJF avenida Rio Branco 241 Centro RJ.

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna