29 de mai de 2015

CORRUPÇÃO NO FUTEBOL, A LAVANDERIA DA FIFA

CONGRESSO COMEÇA SOB AMEAÇA DE BOMBA
ELEIÇÃO DE BLATTER FICA AMEAÇADA E VAI PARA SEGUNDO TURNO
MANIFESTANTES TENTAM INVADIR
BLATTER TENTA SE REELEGER EM MEIO A UM TSUNAMI
LIBÉRATION COMPARA FIFA À "COSA NOSTRA"
josé maria marin vice presidente da cbf

A prisão de sete membros da FIFA inclusive do ex-presidente da CBF José Maria Marin abalou o Congresso da Federação Internacional de Futebol-FIFA na Suíça.
O Congresso está sendo realizado em Zurique na Suíça em meio a ameaças de atentados a bomba, tentativas de invasão e denúncias de corrupção envolvendo dirigentes que influenciam o futebol mundial. A policia fez uma varredura e não encontrou nenhum artefato explosivo. Em meio a denúncias e críticas que partem de todos os lados inclusive comparando a entidade que dita os rumos do "maior espetáculo da terra" à Máfia Italiana, o todo poderoso para muitos  ("chefão" para alguns) Joseph Sepp Blatter tenta o quinto mandarinato na direção da Federação Internacional de Futebol, que congrega 209 países em todos os continentes. Todos sem distinção passam a ser suspeitos, acusações de todos os lados, Marco Polo Del Nero, o todo poderoso presidente da CBF saiu pela porta dos fundos quando soube das prisões de sete dirigentes, entre eles seu vice presidente José Maria Marin. Na CBF o grupo ligado a Ricardo Teixeira ao qual ambos são ligados continua dando as cartas, Marco Polo era vice de Marin e hoje José Maria Marin é vice de Marco Polo Del Nero. Ricardo Teixeira que comandou a CBF após João Havelange estava há vários anos em Boca Ratton nos Estados Unidos e rapidamente fez suas malas e zarpou para o Brasil, segundo dizem por problemas familiares. Poucos acreditam.
Em meio a esse turbilhão o Congresso foi mantido, e a reeleição de Blatter pode estar garantida, embora com alguma dificuldade, pois a "máquina" de apoio está mantida. São 208 votos com mais de 600 delegados para decidir os destinos da FIFA com voto unitário assim distribuídos: África 54 votos, Europa (UEFA) 53 votos, Ásia 46 votos, América e América Central 35 votos, Oceania 11 votos e América do Sul 10 votos.
O vice-presidente David Gill garantiu que sairá da FIFA se Blatter for reeleito. Michel Platini pede votos para o candidato de oposição o príncipe da Jordânia Ali Hussein e disse que a situação de Blatter ficou insustentável, exige seu afastamento. Em meio a esse turbilhão a situação do conflito Israel X Palestina e suas seleções, que deveria ser a pauta do Congresso ficou para trás. O problema agora é a reeleição de Blatter.  O jornalista Andrew Jennings que investiga os negócios no futebol mostrados no livro "Jogo Sujo" acredita que o próximo a ser atingido é Joseph Blatter o todo poderoso presidente da FIFA.  Para Jennings a Cosa Nostra perto da FIFA é "negócio de crianças".

22 de mai de 2015

A "GUERRA DO RIO" PARTE III

TRÊS MORTOS NO CENTRO DA CIDADE
ÔNIBUS SÃO INCENDIADOS EM PROTESTO PELA MORTE DE JOVEM
SECRETÁRIO DE SEGURANÇA É REU EM PROCESSO ABERTO PELO MINISTÉRIO PÚBLICO
A "Guerra do Rio" continua em uma sucessão de mortes que parece não ter fim. Na madrugada de Finados três pessoas são mortas em tiroteio em um ponto de venda de crack na Rua Barão de São Félix na Central do Brasil, a poucos metros de uma unidade do Exército. Há dias atrás, o jovem Maike da Silva foi morto no Chapadão quando ia para o trabalho em tiroteio após a invasão policial, A policia procurava pistas do paradeiro do policial Neandro sequestrado pela quadrilha que domina a área, uma das mais perigosas da cidade. Em represália moradores incendiaram quatro ônibus da linha 773 Pavuna/Cascadura na entrada do morro.
O policial militar Neandro Santos de Oliveira foi sequestrado e provavelmente executado por bandidos do Morro do Chapadão em Costa Barros. Policiais civis e militares invadiram o Chapadão e encontraram um corpo no alto do morro. O automóvel de Neandro foi encontrado na localidade Final Feliz com várias perfurações e muito sangue no estofamento. A bandidagem tem executado policiais em uma sequência de matanças em represália à política de segurança adotada pelo estado.
A Política de Segurança do Estado do Rio de Janeiro tem se mostrado de uma rara ineficiência. a bandidagem que ficava restrita a certas áreas agora tem se espalhado por toda a cidade e tem colocado em pânico os moradores de Niterói, que já foi um modelo de paz e harmonia. Para piorar as coisas o secretário de segurança José Mariano Beltrame é réu de processo aberto pelo Ministério Público, suspeito de superfaturamento em compras e manutenção de viaturas policiais conforme publicado no site da Veja. Assaltos em toda a cidade, mortes diárias em favelas ocupadas pela policia, e que deveriam estar pacificadas. A população pergunta: "Para que serve a UPP?".

crianças aterrorizadas com a violência

A politica de segurança veio a reboque do Plano Colômbia, copiando um modelo feito para acabar com as FARC  e o narcotráfico, principalmente contra os cartéis, em especial o Cartel de Cali e o que restou do Cartel de Medellin após a morte de Pablo Emilio Escobar. As FARC e o narcotráfico continuam, contrariando os dólares americanos. As autoridades sabem, ou deveriam saber que a realidade da "Cidade Maravilhosa" é bem outra, ou como diria um gerente de ponto de vendas de drogas: "Aqui o buraco é mais em baixo". Em uma cerimônia estranha e inusitada, se for analisada friamente, o prefeito Eduardo Paes foi homenageado em Medellin pelo "sucesso" de sua administração, e o êxito da UPP Social. Como diria um prefeito que reinou durante anos na cidade: "Tudo não passa de um mero factoide". Estatísticas apregoam o declínio da criminalidade, o que parece não corresponder à realidade. Os assaltos a arma branca, facas, tesouras estiletes disparam, áreas de lazer se transformam em zonas de guerra. Nas cidades vizinhas, Niterói, São Gonçalo e  da Baixada Fluminense criminosos aterrorizam os moradores, que se sentem desprotegidos. Com um aumento impressionante da desigualdade social, o número dos sem teto, sem trabalho, sem nenhuma perspectiva tem aumentado sem nenhuma resposta dos governantes em tempos de crise, que só pensam em empregar seus possíveis lucros que acreditam possam vir dos megaeventos que estão por vir.
Os assaltantes esfaimados e cheios de crack na cabeça modificaram o modus operandi, agora a moda é esfaquear as vítimas indefesas. É a barbárie que atinge a todos nós indiscriminadamente, de um extremo a outro da cidade.
Niterói que já foi uma cidade modelo, sofre um aumento vertiginoso dos índices de violência, devido a um fator que não foi levado em conta (ou foi levado em conta) pelas autoridades policiais, que fizeram tudo a toque de caixa para "enxotar" a criminalidade para longe da cidade sede da Copa 2014 e das "maiores Olímpiadas que o mundo já viu", conforme apregoam os donos do poder. Fica uma pergunta com ares de cobrança, "Cadê a Pátria Educadora, Cadê a UPP Social?"

19 de mai de 2015

A "GUERRA DO RIO" CONTINUA

O CRIME É DESORGANIZADO E A POLICIA CONSEGUE SER PIOR
Existe um crime organizado, alguns são presos e outros não.
O Estado tem interesse em organizar o crime
Não é o crime que se organiza a si mesmo
    Padre André Hombrados, 2008
EXÉRCITO SAI DA FAVELA DA MARÉ. TIROTEIOS VÃO AUMENTAR
CHEFE DO CV DÁ ORDEM PARA TRAFICANTES SOLTAREM SETE POLICIAIS

Três mil homens do Exército e da Marinha que ocupavam o Conjunto de Favelas da Maré são substituídos por apenas 400 policias, para ocupar uma das áreas mais conflagradas do Rio de Janeiro. No Conjunto de Favelas três redes criminais Comando Vermelho, Terceiro Comando e Amigos dos Amigos lutam por tomada de território e para o domínio da venda de drogas. Há menos de uma semana traficantes da rede criminal Comando Vermelho humilharam a policia tomaram armamento dos PMs e disseram aos berros para todo o morro ouvir: "Aqui nós mandamos" um aviso de quem domina o território.  Horas depois,  ordens para soltar os sete policiais rendidos pelos traficantes do Morro do Fallet em Catumbi no inicio da noite de sexta dia 26/06 partiram de lideranças do Comando Vermelho presos em Gericinó. Seis bandidos renderam os PMs da UPP do Fallet e tomaram suas armas, que horas depois foram obrigados a devolver. O fato causou enorme constrangimento à cúpula da Secretaria de Segurança. Há dois dias atrás o sargento PM Tarsis Dória, 40 anos, foi morto por traficantes do Morro do Zinco, no Complexo do São Carlos no inicio, da manhã de quinta 25/06 quando se dirigia para uma tendinha para comprar café. Era lotado na UPP. Mesmo ocupado pela policia os tiroteios tem sido constantes e a tomada por pontos de venda de drogas continua.
Muito se fala em "crime organizado", mas no Rio de Janeiro quando analisamos sua face mais visível o narcotráfico, o que parece acontecer é uma grande desorganização no chamado mundo do crime, acirrado pela disputa dos pontos de venda de drogas, a varejo, e consequente domínio territorial que tem deixado os órgãos de segurança sem saber o que fazer. Amigos de hoje, inimigos de amanhã, conforme interesses eventuais, onde alianças são formadas e se desfazem com rapidez. É um salve-se quem puder visando somente as altas taxas de lucro resultantes da venda das "mercadorias do prazer". As disputas acontecem não só entre a maiores redes associativas Comando Vermelho, Terceiro Comando e Amigos dos Amigos, mas em algumas ocasiões dentro das próprias redes, onde as dissidências são formadas, fazendo lembrar alguns grupelhos de uma falsa esquerda. O espírito de solidariedade frente às condições sub humanas que  motivou a criação da Falange Vermelha não mais existe, apenas uma corrida desenfreada pelas altas taxas de lucro uma verdadeira "indústria do crime". De uns anos até os dias de hoje houve um crescimento de grupos chamados Milícias, formados por policiais, ex-policiais, bombeiros agindo à margem da lei e cobrando taxas de proteção. Quem não pagar é sentenciado à expulsão de sua comunidade, ou mesmo à morte como castigo exemplar.


O narcotráfico é um fenômeno mundial. A ONU realizou em 1999 uma reunião para analisar e apresentar soluções para enfrentar o aumento dos níveis de criminalidade em todos os continentes, a "globalização do mal". O encontro foi em Palermo, na Itália onde especialistas de todo o mundo se reuniram na Convenção das Nações Unidas Contra o Crime Organizado, mais conhecida como Convenção de Palermo. No Brasil as normas foram adotadas em forma de decreto lei de março de 2004. No Rio de Janeiro, a política adotada é a repressão como finalidade absoluta e não como um meio para trazer a paz e a justiça social, ampliando os cinturões de segurança para dar aparente tranquilidade, em tempos de Copa do Mundo e Jogos Olímpicos.

18 de mai de 2015

A "GUERRA DO RIO" ATERRORIZA MORADORES

PEZÃO AFIRMA QUE A GUERRA VAI CONTINUAR
TRAFICANTE MAIS PROCURADO É MORTO EM CERCO POLICIAL
BANDIDOS JURAM VINGAR MORTE DE PLAY BOY 

O narcotraficante Celso Pinheiro Pimenta o Play Boy  foi sepultado domingo no cemitério de Catumbi sob intenso foguetório. Seu tio Cosme Pinheiro durante o sepultamento afirmou que "ele teria sido executado em uma ação desastrada da policia". Em uma troca de mensagens entre traficantes da mesma facção bandidos juram vingança e dizem: "Vida se paga com vida. Tá aberta a temporada de caça à policia".  Play Boy foi morto sábado 08/08 em um cerco policial por mais de noventa homens da Policia Federal e da Coordenadoria de Recursos Especiais quando visitava sua namorada no Morro da Pedreira em Costa Barros. Play Boy que pertencia à rede criminal ADA era o bandido mais procurado do Rio, e sua cabeça valia R$50mil reais conforme cartazes distribuídos pela cidade, como no Velho Oeste. O traficante que havia estabelecido uma base no Morro dos Macacos em Vila Isabel estava planejando invadir  algumas favelas do Complexo da Maré, entre elas a Vila dos Pinheiros atualmente domínio do Terceiro Comando-TC. Ele havia se reunido com chefes do Comando Vermelho para em uma aliança cooperativa de mais de 400 homens invadir e controlar várias favelas dominadas pelo TC.
O Brasil é um dos maiores consumidores de drogas em todo o mundo, além de um corredor privilegiado para a distribuição em outros países, sendo que o Rio de Janeiro concentra grande parte da produção e refino da cocaína. Embora o governador Luiz Fernando Pezão fale sempre em uma guerra, essa guerra não existe, mas intensas situações de conflito localizadas  em várias áreas da cidade e também em áreas ocupadas pelas UPPs, que  vêm mostrar a pouca eficiência das Unidades de Pacificação.
celso pinheiro pimenta o play boy

A "Guerra do Rio" vem ocorrendo há muito tempo e foi intensificada em 2015. Na Rocinha, Mangueira, Complexo do Alemão e Maré os tiroteios trouxeram terror em áreas ocupadas pelas forças da repressão. Doze mortos foi o resultado de uma semana de conflitos para a tomada de territórios entre as redes criminais Comando Vermelho-CV e Amigos dos Amigos-ADA em áreas no Centro e Santa Tereza ocupadas pelas forças policiais. Os mais de 150 mil moradores das favelas do São Carlos, Mineira, Querosene, Fallet e Coroa vivem sob ameaça e toque de recolher.

O comércio teve prejuízo de milhões, frequentemente obrigado a fechar as portas. Sexta feira dia 15 de maio a população amanheceu em meio a um tiroteio e fogo cruzado com ônibus incendiados em uma das principais vias de acesso ao centro da cidade, a Rua Estácio de Sá. Protestos pela execução de dois moto taxistas no alto do Morro de São Carlos foram reprimidos com bombas de gás pela PM transformando o Estácio em uma zona de guerra. O Morro de São Carlos é um local estratégico, com vários acessos, e tem sido alvo de disputa há algum tempo, desde a morte do "dono do morro" Adilson Balbino, muito querido pelos moradores,  que procurava manter independência, embora ligado ao Terceiro Comando. A disputa pelos pontos é comandada por Celso Pinheiro Pimenta o Play-Boy da rede criminal ADA criado em Laranjeiras condenado a 15 anos de prisão e foragido desde 2009, que tem sua base de atuação no Morro da Pedreira. Play-Boy disputa os pontos com Anderson Rosa o Coelho. Celso Pinheiro tem desafiado a policia com vídeos procurando mostrar seu poderio, como no sinistro "ballet aquático" em piscina olímpica, com fundo musical de rajadas de fuzil.

15 de mai de 2015

MORADORES DO SÃO CARLOS PROTESTAM CONTRA VIOLÊNCIA POLICIAL

ÔNIBUS INCENDIADOS EM PROTESTO À MORTE DE ELETRICISTA ABATIDO A TIROS ENQUANTO PREPARAVA A FESTA JULINA
FACÇÕES RIVAIS LUTAM POR CONTROLE DE TERRITÓRIO EM FAVELAS OCUPADAS PELAS UPPs
Foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Moradores do Morro de São Carlos no Estácio, localidade  próxima ao Sambódromo protestaram quanto á morte do eletricista Carlos Henrique Olímpio que preparava a montagem de barraquinhas para uma festa de São João. Dois ônibus foram incendiados e a festinha foi cancelada.
A "Guerra do Tráfico" entre redes criminais rivais por tomada de território e pontos de venda de drogas que já dura mais de um ano já causou muitas mortes. As invasões começaram após a fuga de Ricardo Chaves o Fu da Mineira. Moradores do Morro São Carlos, uma das favelas ocupadas pelas UPPs há meses protestaram contra a violência na região. Há meses atrás o assassinato de dois moto taxistas que teriam sido executados pela PM no alto do morro. Os corpos foram encontrados em um matagal no alto do morro com vários ferimentos causados por objeto perfurante. Moradores afirmam que foram executados por policiais militares após terem sido torturados. Mais  de cem manifestantes atearam fogo em um ônibus no inicio da manhã próximo ao Largo do Estácio, em frente a uma estação de metro que foi obrigada a fechar seus acessos. O comércio local  fechou suas portas temendo invasões e depredações. Policiais do Batalhão de Choque subiram o morro e foram apedrejados pelos manifestantes e reagiram com bombas de gás para dispersar os participantes do protesto. Faixas pediam o fim da UPP que em vez de trazer a paz, não tem conseguido resolver os conflitos. Mais de 900 alunos ficaram sem aula, e a creche na entrada do São Carlos ficou fechada.Um outro coletivo foi incendiado na Rua Campos da Paz no Rio Comprido, perto do Largo do Rio Comprido e próximo ao Rebouças. Policias de várias unidades pacificadoras estão chegando para reforçar a área. O governador Luiz Pezão declarou "Que está tudo sobre controle", apesar do terror implantado nas áreas da Tijuca, Rio Comprido, Santa Tereza e Centro. 

ônibus incendiado na rua Estácio de Sá

Foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

moradores pedem o fim da upp



13 de mai de 2015

UM DOS CHEFES DO COMANDO VERMELHO CONDENADO A 307 ANOS DE PRISÃO

ESQUEMA DE BEIRA-MAR FOI DESMANTELADO PELA POLICIA FEDERAL EM OPERAÇÃO EM SEIS ESTADOS
FERNANDINHO BEIRA-MAR JULGADO PELA MATANÇA EM BANGU UM  EM 2002 VAI SER TRANSFERIDO PARA OUTRO PRESÍDIO

foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Um engenhoso esquema dirigido por Fernandinho Beira-Mar foi desmontado pela Policia Federal após meses de investigação. Segundo declarações da Federal um bilhete parcialmente destruído foi interceptado e reconstituído. Os bilhetes eram passados para uma cela vizinha e orientavam como agir nas favelas sob seu domínio. Eram usados celulares com códigos criptografados por poucas pessoas de sua inteira confiança, orientados por sua irmã Alessandra Costa, advogada. Foram presas 24 pessoas em seis estados, quatorze aqui no Rio, sendo cinco filhos, três advogados e sua irmã Alessandra. O grupo tinha lucro em favelas de Caxias de cerca de R$ 1 milhão, explorando outras atividades além da venda de drogas, a varejo. O desmonte de uma das atividades de Beira-Mar um dos líderes do CV, que mesmo preso comandava várias favelas, na prática vai beneficiar a nova aliança entre redes criminais rivais.
Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar um dos lideres da rede criminal Comando Vermelho-CV veio ao Rio  em jatinho da Policia Federal para ser julgado no I Tribunal do Juri no Fórum pela chacina ocorrida no Presídio de Bangu1 no dia 11 setembro de 2002. Ele é acusado de comandar (e executar) presos da facção rival Amigos dos Amigos-ADA Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, um dos líderes da facção, que tinha sido um dos chefes do Comando Vermelho e dono dos pontos de venda no Morro do Adeus em Bonsucesso. Foram também mortos Marcelo Lucas o Café, Wanderley Soares o Orelha e Robertinho do Adeus, todos da ADA. No massacre um dos lideres do ADA Celsinho da Vila Vintém conseguiu escapar, segundo dizem por ter feito um acordo (pedido arreglo) com Beira-Mar. Depois da chacina em 2002 conhecida no submundo como "A derrubada das Torres Gêmeas" a rede criminal teve um grande crescimento sendo a segunda facção criminal do estado e tomando alguns pontos tradicionais do CV, entre eles a Favela da Rocinha que 'mudou de lado" na Era Luciano  o Lulu. As desavenças com Uê vieram desde a passagem dele para a rede ADA, após a morte de um dos lideres do Comando Vermelho Orlando Jogador chefe de tráfico no Morro do Alemão. Uê ficou jurado de morte principalmente pela "Ala Jovem do CV" liderada por Beira-Mar e Marcinho VP do Morro do Alemão. embora os chefes tradicionais como Isaias do Borel e Cristiano da Silva o Abelha quisessem evitar a chacina. A matança começou com uma rebelião e Ernaldo depois de assassinado e esquartejado foi colocado em meio a pilha de colchões e queimado.  Uê já havia sofrido ameaças e tentativas de assassinato e a data de 11 de setembro foi altamente simbólica, em 11 de setembro do ano de 2011 aconteceu o atentado em Nova Iorque das torres gêmeas. Na época a governadora era Benedita da Silva  e o secretário de segurança Roberto Aguiar, que ficou conhecido como "o homem do Zepellin".  Para alguns membros da Policia Federal que não quiseram se identificar, o verdadeiro motivo foi a importação de drogas e a distribuição em nosso território, havia uma disputa entre Beira-Mar e Uê. Fernandinho passou então a ser o principal 'matuto" ou fornecedor. Beira-Mar estaria também envolvido na morte de Denys da Rocinha em janeiro de 2001, com quem teve sérias desavenças. Atualmente Beira-Mar está preso em Porto Velho, presídio de segurança máxima condenado a mais de trezentos anos de prisão e o pedido de transferência para presidio no Rio de Janeiro foi negado. A rede criminal Comando Vermelho atualmente tem uma de suas bases no Morro do Chapadão em Costa Barros e as ordens vem de dentro de presídios de segurança máxima.

12 de mai de 2015

BRASIL PÁTRIA EDUCADORA, UMA PEÇA DE MARKETING

A ORDEM É PRIVATIZAR: UNIVERSIDADES FEDERAIS VÃO COBRAR MENSALIDADES
CORTE DE VERBAS NA PÓS-GRADUAÇÃO
GOVERNO FEDERAL NÃO CUMPRE PROMESSAS DE CAMPANHA

Projeto polêmico vai ser mais um golpe na educação. Universidades Federais vão ser pagas, acaba de vez o ensino gratuito. Acabou a correria dos candidatos, com um tema polêmico: "A Utopia", que queimou os neurônios dos candidatos à maratona da educação. No dia 15 de outubro, dia do mestre o slogan "Pátria Educadora" apregoado como uma conquista soa mais como tragédia do que como farsa. Com verbas reduzidas ao mínimo e com atitudes contestadas o ministro Renato Janine foi demitido para dar lugar a um ex-ministro da Educação que pouco ou nada fez, Aloisio Mercadante, que vai voltar para a pasta por não ter onde ficar. Depois de uma das greves mais longas da história, alunos das federais voltam às aulas a partir de segunda dia 14/09. Lançado com pompa e circunstância o slogan "Brasil Pátria Educadora" é um engodo lamentável que não saiu do papel e vem mostrar a verdadeira face do governo em relação ao ensino. Uma crise sem precedentes tem prejudicado o ensino no Brasil. O impasse entre grevistas e o governo federal tem levado milhões de universitários ao abandono, sem poderem completar seus cursos e sendo atirados  ao desamparo, sem nenhuma esperança de dias melhores, pelo menos a curto prazo.. A Universidade Federal Fluminense ficou sem energia elétrica devido a uma dívida de R$ 9 milhões com a AMPLA. As obras da universidade também estão paralisadas. O corte nas verbas do Programa de Pós-Graduação-PROAP do CAPES para o aperfeiçoamento a nível superior foi o último golpe em nosso sistema de ensino, e o intercâmbio no exterior fica prejudicado. Apesar da reclamação dos professores o CAPES pede paciência e dia que novo calendário será brevemente divulgado.
Greve Nas Federais Parecia Não Ter Fim. 
A greve nas Universidades Federais, uma das mais longas da história, parecia que não ia acabar, mas o governo continua prometendo o que sabe que não poderá cumprir. A Reitoria da UERJ recentemente havia sido  invadida e  depredada por mais de cem manifestantes, universidades federais em uma greve sem fim prejudicando milhares de estudantes que conseguiram ingressar após uma verdadeira maratona e ficam decepcionados com a bagunça generalizada.  178 mil estudantes não conseguiram o Fundo de Financiamento Estudantil-FIES e não se sabe quando terão nova oportunidade. Universidades fechadas por falta de limpeza, greves de professores reprimidas a ferro e fogo e dentadas de pitbull, a educação no Brasil é um deboche. O atual ministro Renato Janine tenta se equilibrar com verbas reduzidas e péssimas gestões anteriores. Afinal o que poderíamos esperar de um ministro como Aloisio Mercadante, e outros do mesmo tope. Como se não bastasse o escândalo do FIES onde tudo foi prometido e quase nada foi cumprido, as Universidades Federais mais uma vez são obrigadas a fechar por excesso de sujeira, onde ratazanas passeiam em meio a detritos de todo o jeito, acumulados ao longo de semanas. Explicação: o dinheiro sumiu. Diretores e professores com pós-doutorado obtidos com muito sacrifício e horas e horas de muito estudo e pesquisa, são obrigados a limpar banheiros e varrer salas, para ocupar funções que não as suas. O diretor da Escola de Comunicação da UFRJ na Praia Vermelha Amaury Fernandes, respeitado educador, foi obrigado a limpar os banheiros de sua escola, para que os alunos pudessem obter conhecimento, afinal foi para isso que estão nas faculdades. O diretor da Eco/UFRJ declarou se sentir impotente para resolver a situação. O recém eleito reitor Roberto Leher critica a crescente terceirização e afirma que "a educação não pode pagar o desajuste das contas públicas, que podem comprometer o futuro da educação". A educação não é a única a enfrentar uma crise, os hospitais estão fechando por falta de condições para funcionar. Enquanto isso em Brasília e nos palácios estaduais a comilança continua. A grande meta da Câmara de Deputados é a construção de um shopping.

6 de mai de 2015

DELATOR ACUSA MAUS POLÍTICOS DE AFUNDAR A PETROBRAS

LULA DIZ "NÃO TEMO SER PRESO" NO SBT BRASIL
ACAREAÇÃO ENTRE OS DELATORES PAULO COSTA E ALBERTO YOUSSEF
O POVO PERGUNTA: QUANDO OS POLÍTICOS VÃO PARA CADEIA?
O ex-presidente Lula em entrevista ao "SBT Brasil" declarou que não tem medo da prisão e desafia  qualquer pessoa que prove algum ato ilícito praticado por ele. "Tenho a consciência tranquila" e disse que as seguidas acusações são meramente políticas, um choro de perdedor. A CPI da Petrobras fez uma acareação entre os delatores Paulo Roberto Costa diretor da empresa e o doleiro Alberto Youssef. Para Paulo Roberto Costa a compra da Refinaria de Pasadena que deu enorme prejuízo à Petrobras foi culpa do Conselho Administrativo dirigido por Dilma Roussef, na época presidente do Conselho. O Conselho da Petrobras tem autonomia para aprovar ou vetar qualquer negócio envolvendo a empresa mesmo contra o interesse do presidente da estatal. O senador Aécio Neves foi também acusado por Alberto Youssef de ter recebido propina de Furnas. Para o procurador-geral Rodrigo Janot nunca houve nada igual como a corrupção na Petrobras. A maior dificuldade é pegar os malfeitores "com a mão na massa" ou seja no ato da negociata em que os milhões são repassados de uma pessoa para outra, ou melhor de uma mão suja para outra mais suja ainda. O negócio é fazer como a Operação Anti Máfia em Palermo na Itália "seguir a trilha do dinheiro", mas ter muito cuidado para não passar para o outro mundo como os juizes Paolo Borsellino ou Giovanni Falcone  executados pela Máfia. Políticos corruptos que desviam dinheiro são como genocidas, colocaram nos bolsos dinheiro que seria destinado a hospitais, escolas, transportes, enfim para o bem de todos e não de uma minoria.
Paulo Roberto Costa ex-diretor da Petrobras, em prisão domiciliar beneficiado pela delação premiada em depoimento à CPI acusou vários senadores, deputados e ex-ministros como maus políticos que foram a causa da corrupção na estatal. Enquanto empreiteiros como Marcelo Odebrecht e outros estão presos, políticos que encheram bolsos e cuecas de dinheiro, políticos corruptos estão soltinhos e rindo às escâncaras de orelha a orelha.
Em documento apreendido pela PF em que constava o dinheiro para pagamento de propinas, havia a expressão band, que estava ao lado do nome de alguns políticos, seria o diminutivo de bandido, Youssef se referia a alguns políticos com esse adjetivo. Costa é funcionário de carreira há mais de 25 anos e foi durante oito anos importante diretor da Petrobras. Paulo Roberto sabe de muitas coisas envolvendo políticos de todos os matizes. Em abril de 2014 tentou sumir com documentos e destruir provas, mas a Policia Federal chegou antes. Tinha relações de amizade com muitos políticos, devido a ter cargo muito importante na empresa e  era conhecido pelos mais íntimos como "Paulinho". Interpelado pelo deputado Ivan Valente-PSOL que leu uma lista de 50 nomes, Costa declarou que forneceu benefícios a 29 deles, citando entre outros Renan Calheiros, Edison Lobão que foi ministro de Minas e Energia e Paulo Bernardo ex-ministro das Comunicações. Costa também declarou que a péssima gestão foi a causa principal da situação em que se encontra a empresa e culpou Guido Mantega ex-ministro da Fazenda e presidente do Conselho de Administração e a presidente Dilma Roussef por manter os preços da gasolina artificialmente baixos. Para o ex-diretor " "A Lava-Jato é apenas uma parte, apenas 10% do rombo da Petrobras. O maior problema da Petrobras é a gestão". Costa admitiu que intermediou doações de empresas envolvidas na Operação Lava-Jato para a campanha de Sergio Cabral e Luiz Fernando Pezão.  Costa fez depoimento de mais de seis horas e disse estar profundamente arrependido.
Centenas de perguntas foram feitas, mas acredito que uma delas resume a novela da corrupção: "Até agora técnicos e empreiteiros foram presos. Quando vai chegar a vez dos políticos". A pergunta foi feita pela deputada Clarissa Garotinho.









obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna