29 de dez de 2015

É REVEILLON:VAMOS CELEBRAR

VIVA 2017, XÔ ANO VELHO VAMOS CELEBRAR ATÉ O DIA DOS SANTOS REIS
ESQUEÇAMOS AS PESSOAS DE TEMPERAMENTO SÓRDIDO
ESQUEÇAMOS TEMER, ESQUEÇAMOS PEZÃO, ESQUEÇAMOS O FMI
ESQUEÇAMOS OS ECONOMISTAS QUE DITAM AS REGRAS PARA SUGAR NOSSAS RIQUEZAS E TUNGAR NOSSO SUADO DINHEIRO
ESQUEÇAMOS O PACOTÃO IMPOSTO PELO FMI
ESQUEÇAMOS AS OBRAS INACABADAS E MAL FEITAS
ESQUEÇAMOS A MAIOR OLIMPÍADA DE TODOS OS TEMPOS
ESQUEÇAMOS O FUTEBOL CARIOCA
ESQUEÇAMOS A CRISE NA SAÚDE
ESQUEÇAMOS A DENGUE, ESQUEÇAMOS A ZIKA
ESQUEÇAMOS A TROCA-TROCA DE MINISTROS
ESQUEÇAMOS A ARROGÂNCIA, ESQUEÇAMOS A INCOMPETÊNCIA
ESQUEÇAMOS 2016, UM ANO PARA NUNCA MAIS SER LEMBRADO
PORQUE HOJE É REVEILLON, VAMOS CELEBRAR COM DON PÉRIGNON OU COM MUITA CACHAÇA MARIMBONDO

Salve Iemanjá, a Rainha do Mar foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved

2016 já acabou, e já vai tarde. Vamos continuar celebrando enquanto é tempo, enquanto "Seu Lobo" não vem.  Vamos celebrar o novo ano, vamos celebrar a chegada de novas esperanças, apesar da Dilma, apesar do Temer, apesar do Renan, apesar do Pezão, apesar do "Legado Olímpico", apesar das Organizações Sociais-Os que afundaram a saúde, que está ás portas da UTI, e para alguns às portas do necrotério.
Vamos colocar nossas oferendas para a Rainha do Mar a verdadeira Rainha, com muita fé e esperança que dias melhores hão de vir. Governantes debochados e infiéis, que tem arruinado nossa pátria, em vez de pedir conselhos que não vão ser seguidos, lembrar da frase que muitos despossuídos e desenganados das favelas cariocas seguem: "A Humildade Leva a um Braço Forte" ou "Fé em Deus e nas Crianças".
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Vamos esquecer a empáfia e a arrogância  dos "postes" (que são muitos)  pedir que os governantes tenham a humildade de fazer uma autocrítica e pedir ao Supremo Criador, A Nossa Mãe Iemanjá, ao Glorioso São Jorge, a São Bento, São Bernardo, Tomás de Aquino, Martinho Lutero, Maomé, Freud, Engels, Carl Jung, que iluminem os "postes" de Brasília e da cidade de São Sebastião ao som do hino cristão para espantar as pessoas de temperamento sórdido, espantar as trevas e a dor:
"Quanta Luz, Neste Ambiente, Descendo Sobre Nós"

25 de dez de 2015

NATAL NA ROCINHA EM TEMPOS DE CRISE

NATAL NA ROCINHA TEVE ESPÍRITO SOLIDÁRIO PARA SUPERAR ADVERSIDADES
PRESÉPIO FOI MONTADO CONFORME A TRADIÇÃO 
Moradores da Rocinha fizeram um Natal solidário e fraterno onde o velho Noel foi festejado em seus 18 sub bairros. Ivan Martins, comerciante local manteve a tradição e montou um presépio na área chamada Sete  para reverenciar o nascimento de Jesus. A "Maior Favela da América do Sul" tem conseguido enfrentar a crise, as sombras pesadas que afetam toda a cidade. Cansados de serem enganados por falsas promessas de sucessivos governantes um grupo de comerciantes e moradores da Macega, um dos muitos sub bairros da favela resolvem se juntar e fazer um Natal solidário dia 24. Já se foi o tempo em que Denis ou Luciano repartiam parte dos lucros de seu comércio e davam um festão para os caidinhos. O chefe de cozinha Claude Troisgros também resolveu botar no ar, em seu programa do canal a cabo GNT a culinária local e preparou um pernil natalino especial com o molho da Rocinha. Em 2016 as comemorações começaram dia 22 com uma queima de fogos ordenada pelo "homem lá de cima" para espantar as tristezas da crise causada pela dupla Cabral/Pezão.
photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved

O clima de festa foi um pouco melhor do que no ano passado.  A Rocinha vivia um Natal de muita paz e harmonia, até que o chamado espírito natalino resolveu ir embora no final da madrugada. Aí começa a pancadaria. Na localidade Roupa Suja, que fica na parte baixa logo acima do Túnel Zuzu Angel, no final da madrugada às 5h da manhã uma pancadaria deixou quatro feridos, um em estado grave no Hospital Miguel Couto, na Gávea. Pouco tempo depois um morto que foi identificado como Jorge Aruí de 49 anos, comerciante, foi encontrado dentro de uma lixeira. A confusão começou no final do baile funk no Valão, policiais da UPP queriam terminar com a barulhada, segundo alguns moradores. Policiais da UPP que estavam na passarela na entrada da favela, trocaram tiros com um "bonde" fortemente armado que fazia a ronda da madrugada. Eles vieram da Roupa Suja, localidade não urbanizada que teve as obras do plano inclinado e de saneamento interrompidas, apesar das promessas feitas durante as campanhas eleitorais através do PAC-1e PAC-2.
photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
 O transito de automóveis e coletivos ficou interrompido durante mais de uma hora e só foi restabelecido no início da manhã do dia 25/12. O clima de Natal não era de muita alegria, o presépio de Natal montado na parte alta pelos comerciantes com ajuda da contravenção este ano não foi feito, para a tristeza das crianças da localidade. A Rocinha tem seus inúmeros pontos de venda de drogas controlados pela rede criminal Amigos dos Amigos-ADA desde a época de Luciano, o Lulu ou Bigode para os mais chegados. A rede criminal fez uma aliança cooperativa com o Primeiro Comando da Capital-PCC para expandir seu domínio e dominar os pontos de venda em toda a Zona Sul. O PCC tem enviado "braços" e grande quantidade de armamento para fortalecer a aliança. Atualmente as bocas de fumo são dominadas por Rogério 157 homem de confiança de Antônio Bonfim Lopes o Nem que está em presídio de segurança máxima, mas que mantém o controle da imensa favela.

23 de dez de 2015

CRISE NA SAÚDE DE UM GOVERNO INCOMPETENTE

BILHÕES DA SAÚDE FORAM REPASSADOS PARA OUTRAS FINALIDADES
           " atendemos pacientes que estiverem à beira da morte"
                               Cartaz na porta do HGV
PEZÃO PODE SER JULGADO POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
PREFEITO DE MARICÁ CHAMA GOVERNADOR DE INCOMPETENTE
O Ministério Publico exige que mais de R$1 bilhão de reais sejam transferidos para o Fundo Estadual de Saúde conforme manda a lei. O Estado não cumpriu a obrigação de aplicar a quantia que corresponde a 12% do orçamento na área da saúde e tem a obrigação de repassar imediatamente.  A crise na saúde no Rio de Janeiro chegou ao fundo do poço. Faz lembrar o aviso na entrada do Inferno de Dante Alighieri: "Deixai toda esperança, oh vós que entrais". Com centenas (ou milhares) de pacientes morrendo por falta de atendimento o CREMERJ desde final do ano passado pediu que o então governador Luiz Pezão fosse responsabilizado e julgado e condenado por improbidade administrativa, ou quem sabe em um julgamento mais rígido por genocídio. Os vários processos estavam engavetados e agora serão analisados conforme decisão. O Instituto Estadual de Hematologia-HEMORIO  foi obrigado a fechar as portas e deve reabrir só na segunda, por falta de pagamento aos funcionários que estão há dois meses sem receber salário. A Secretaria Municipal de Saúde demitiu vários médicos sob alegação de "readequação funcional", um eufemismo que vem mostrar a irresponsabilidade dos governantes. Na prática o atendimento vai diminuir e pessoas com necessidade de serviços essenciais não vão ser atendidas. O governador Luiz Fernando Pezão passou mal e meses atrás esteve internado no Pró Cardíaco em Botafogo com febre alta sem ter ainda diagnóstico definitivo. O filho do prefeito Eduardo Paes foi atendido no Hospital Municipal Lourenço Jorge após uma queda. O prefeito à beira de um ataque de nervos, provavelmente com a crise que afeta todo o país em especial o Estado do Rio entrou em conflito com a equipe médica e segundo a radio Band FM disse que demitiria a médica de plantão. O Sindicato dos Médicos em nota criticou a arrogância de Paes e disse que vai processá-lo por assédio moral e abuso de autoridade.    Com as fortes chuvas que atingem o estado, os focos do mosquito se proliferam. Em visita ao município de Maricá, considerado um dos melhores em índice de qualidade de vida , o prefeito Washington desesperado com a destruição da cidade causada pelas fortes chuvas acusou o governador Pezão de "incompetente" e péssima administração. O Estado seria culpado da destruição por não ter realizado obras que poderiam evitar a inundação que destruiu vários bairros.  As vacina anti-tetânica e contra a raiva humana humana estão em falta e a própria secretaria de saúde reconhece o desabastecimento. O Ministério da Saúde diz friamente que é um "problema mundial". O Hospital Pedro Ernesto, em Vila Isabel, que já foi um excelente núcleo universitário, referência em residência médica fechou seu centro cirúrgico por falta de condições de higiene, devido às últimas chuvas. Funcionários fazem protesto e temem o fechamento de um centro hospitalar que já foi um centro de excelência.
O Sindicato dos Médicos vai processar o governador por crime de reponsabilidade, ele seria o culpado pela crise atual. Pacientes tem morrido por falta de atendimento. A municipalização do Hospital Rocha Faria para os médicos não vai resolver a crise, seria apenas uma tentativa de ganhar votos para a eleição de outubro. As emergências já atendem um  número ainda insuficiente, bem longe do ideal, muitas pessoas só buscam atendimento quando o estado de saúde  é desesperador. O novo secretário de saúde Luiz Antônio Teixeira ao invés de exigir mais verbas e aumentar os postos de atendimento prometeu fechar vários locais e "otimizar" os serviços.   No auge da crise insensível à calamidade que afeta milhões de pessoas no estado, o governador Luiz Fernando Pezão em vez de procurar fazer o possível e o impossível para evitar mortes ironiza: " A justiça pode mandar também um  carro forte com muito dinheiro", frase de um imenso mau gosto que vem demonstrar o imenso erro de eleitores que depositaram voto de confiança em uma pessoa totalmente incapaz para a responsabilidade do cargo. A péssima administração dos últimos governadores que gastaram tudo o que tinham, e o que não tinham, ao apostar em uma fonte inesgotável de riquezas que viriam dos royalties do petróleo é uma demonstração de como é feita a política em nosso país. Os supremos mandatários esqueceram que a fonte está quase seca.
O Rio de Janeiro enfrenta uma das piores crises no sistema de saúde. Diretor do CREMERJ Pablo Vasquez afirma "que o Rio vive a pior crise de saúde de sua história", e que a culpa é da não aplicação do SUS, e acusa os governos federal, estadual e municipal como culpados pelo não atendimento em casos de urgência. A crise do sistema de saúde no estado não é nova, e se arrasta há vários anos.
 
Para médicos residentes do Hospital Getúlio Vargas a culpa é das Organizações Sociais-OS que fazem péssima gestão. A juíza Angélica dos Santos diz que houve omissão do Estado ao aplicar recursos financeiros indevidamente e dá um prazo de 24 para que haja verba suficiente para solucionar a grave crise. O secretário estadual na época  Felipe Peixoto pediu demissão e que nunca teve verbas suficientes para poder trabalhar e diz que vai tratar integralmente de sua candidatura à prefeitura. A presidente Dilma Roussef que era esperada na cidade para solucionar a crise não veio, e se reuniu com ministros e governador do Rio por tele conferência. Foi então instalado um "gabinete de crise" chefiado pelo ministro da saúde Marcelo Castro, e o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes disse que iria  emprestar R$ 100 milhões para resolver o problema em dois hospitais, mas afirmou que não vai poder emprestar equipes médicas aos hospitais em estado crítico. Enquanto isso o número de pessoas infectadas pelo mosquito do Aedes Egipt aumenta em progressão geométrica transmitindo dengue, zika, microcefalia   em uma verdadeira calamidade pública vitimando milhares de pessoas. Até agora o número de infectados já passa de 60 mil pessoas.

10 de dez de 2015

DIREITOS HUMANOS SÃO IGNORADOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DE DIREITOS HUMANOS FAZ 69 ANOS
GOVERNANTES IGNORAM A DATA
DIREITOS HUMANOS SÃO FREQUENTEMENTE DESRESPEITADOS NA "ERA TEMER"
EM 13/12/1968 FOI PROMULGADO O ATO INSTITUCIONAL AI-5
Dezembro é um mês de datas significativas, como o nascimento de Cristo e a celebração do Natal, da Declaração Universal dos Direitos Humanos e no Brasil pela promulgação do Ato5. O Ato Institucional número 5 ou AI-5 em 13 de dezembro de 1968 durante o governo militar suprimiu várias liberdades democráticas e fechou o Congresso após discurso considerado abusivo, dando ao presidente da república plenos poderes. A Declaração Universal de Direitos Humanos foi estabelecida pela ONU em 10 de dezembro de 1948, mas muito pouca coisa temos para comemorar. Direitos Humanos são frequentemente desrespeitados em um país que vive, ou pretende viver em um estado democrático de direito. Seu primeiro artigo diz: "Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade". Em um sistema em que vivemos a DUDH tem sido ignorada, em uma democracia em construção, os mínimos direitos de cidadania são inexistentes.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
O governo central possui um órgão dedicado a cuidar da aplicação da Declaração de Direitos, mas tem se mostrado pouco eficiente depois da redução de verbas, e principalmente da saída da ministra Maria do Rosário para outras funções e ao descaso que o Governo Temer dedica à questão.  A nível estadual a política de segurança desconhece as leis internacionais e com frequência os direitos são desrespeitados. A tortura como prática habitual e solidamente arraigada é um desafio e uma herança funesta de tempos sombrios. É chamada eufemisticamente de "técnica de interrogatório intensiva", só que a intensidade pode levar á morte como tem acontecido algumas vezes, e podemos citar o "Caso Amarildo", uma afronta ao artigo V que diz: "Ninguém será submetido à tortura nem à tratamento ou castigo cruel desumano ou degradante".


foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
O caso do pedreiro morador da Rocinha teve  o agravante de que além de torturado e morto, seu corpo não foi mais encontrado, o que impede seus familiares do direito ancestral e sagrado do sepultamento, em que mais um artigo da declaração foi desrespeitado. Violência gera violência, civis são vitimados, morrem bandidos executados, mas em contrapartida temos mais um recorde negativo, no ano de 2105 temos por enquanto 60 policias mortos, alguns torturados e executados pela bandidagem. Em 2016, o ano que não terminou o número de agentes policiais mortos é ainda muito maior. Poderíamos ficar dissecando um a um todos os artigos como o direito de moradia, mas em um país onde as soluções são pífias e as remoções para atender a interesses outros são frequentes é mais um artigo ignorado. A solução que poderia ser dada pelos programas de governo como o PAC, se mostraram limitados e atendem a uma pequena parcela de uma imensa população de despossuídos.
PAC na Rocinha fotoAlcyr Cavalcanti all rights reserved
 
Uma série de artigos do texto da DUDH são apenas  letra morta para os governantes, o que constitui um desafio para as autoridades que devem recordar que foram eleitas com o compromisso de honrar as promessas feitas em palanques eleitorais.  Poderia ser um dia de festa, mas infelizmente temos pouco ou quase nada o que comemorar.

7 de dez de 2015

O FRACASSO DE UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA

COMANDO VERMELHO IMPÕE A ORDEM EM FAVELAS DE SÃO GONÇALO ONDE ESTÁ "FAT FAMILY" CAÇADO PELA PM
MAIS UM PM MORTO, JÁ SÃO MAIS DE 73 POLICIAIS ABATIDOS NA "GUERRA DO RIO"
BOPE INVADE FAVELA COM UNIDADE PACIFICADORA
Para os moradores de São Gonçalo é o Fim dos Tempos, onde o que parece errado é o certo, e o que parece certo torna-se  errado. O Comando Vermelho impôs uma série de normas para não chamar atenção da policia e evitar a prisão do traficante Fat Family, resgatado de maneira espetacular há meses atrás do Hospital Souza Aguiar no Rio de Janeiro. O CV distribuiu cartazes com os dizeres: "É proibido roubar cidadãos, comércio, celulares, carros e motos. Quem for pego roubando vai ser punido severamente. Se alguém matar um inocente vai pagar com a Vida" assinado CV. Os cartazes estão circulando nas favelas de São Gonçalo para, segundo um traficante, "Para Manter a Ordem" (sic).
Há meses atrás o policial militar Euller Mamede foi executado perto da Favela das Malvinas, quando havia terminado o plantão e se dirigia para casa. ´Há dias atrás o narcotraficante Luan Lopes da Silva chefe do tráfico no Conjunto de Favelas de Manguinhos dominada pelo Comando Vermelho, foi encontrado morto em São Gonçalo, executado com vários tiros de armas de grosso calibre. Luanzinho era a "bola da vez" e estava sendo caçado como uma fera. Segundo a policia, foi quem comandou a invasão ao Jacarezinho com um bonde de trinta homens muito bem armados, que resultou na morte de dois policiais militares. A Favela do Jacarezinho fica bem próxima ao Complexo de Manguinhos, separadas pela Rua Leopoldo Bulhões, conhecida como Faixa de Gaza. A política de segurança do Estado do Rio de Janeiro é um completo fracasso. Nos tiroteios diários que apavoram a população carioca as balas perdidas ou achadas causam vítimas de todos os lados. Morrem policiais, morrem bandidos, morrem velhos, crianças, morrem culpados e morrem inocentes. A implantação das unidades pacificadoras, as UPPS não trouxeram a pacificação prometida, apregoada em todos os veículos de comunicação de massa, nem mesmo foi estabelecido o "cinturão cirúrgico" nas favelas de maior densidade populacional para dar a falsa impressão de paz e harmonia para os milhares de turistas que estão chegando, não foi conseguida.
As dezenas de favelas "pacificadas" estão em pé de guerra com raras exceções, narcotraficantes de todas as tendências disputam domínio territorial nas chamadas zonas vermelhas. Atual território sem lei a Favela do Jacarezinho, Zona Norte da cidade é uma terra de ninguém, apesar da prometida pacificação após a invasão há alguns meses atrás. A política de segurança baseada na implantação das unidades pacificadoras não conseguiu sua finalidade e conseguiu a proeza de espalhar os confrontos pelo domínio dos pontos de venda de drogas em todo o estado. As três redes criminais o Comando Vermelho-CV, Amigos dos Amigos-ADA e Terceiro Comando-TC além de grupos paramilitares disputam território não mais somente na cidade do Rio de Janeiro, mas em todo o estado. Niterói de cidade modelo virou um inferno diário, com alguns locais como a Favela do Caramujo onde narcotraficantes que migraram da capital estabeleceram bases sólidas onde a policia não entra, e os bandidos estabeleceram toque de recolher após as 19 horas. A morte de dois policiais militares Inaldo Pereira Leão e Marcos Santana em serviço no domingo dia 06/12 na Favela do Jacarezinho veio se juntar a uma fieira de mortes, chacinas, modificação de locais para forjar o chamado auto de resistência, para encobrir execuções em uma terra onde a vida vale quase nada. A política de segurança precisa ser revista, a velha tática do confronto não tem dado certo. A chefia de segurança vai intensificar o confronto, a máquina de guerra entra em cena, saem os policias da unidade pacificadora entram os "caveiras" para tombar muitos corpos no chão. A "Guerra do Rio" é uma batalha sem vencedores nem vencidos. Todos saem derrotados.

3 de dez de 2015

ACEITO PEDIDO DE IMPEACHMENT DE DILMA

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DÁ AO SENADO PODER DE DECIDIR SOBRE  IMPEACHMENT
EM CERIMONIA NO PLANALTO BANDA DE MÚSICA TOCA EM HOMENAGEM O SUCESSO "AMIGOS PARA SEMPRE"
DILMA AMEAÇA PUNIR "ALIADOS" QUE VOTAREM CONTRA ELA
Ministros do Supremo Tribunal Federal analisaram o procedimento a ser seguido para o pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef e decidiram dar todo poder ao Senado.  Em um episódio que ficou entre a tragédia e a farsa, a banda de música em homenagem à presidente e ao vice tocou a melodia "Amigos para Sempre", que motivou um sorriso amarelo dos presentes. Várias manifestações pedindo o impeachment da presidente e o fim da corrupção, foram registradas no último domingo dia 13/12 em várias capitais, principalmente em São Paulo na Avenida Paulista e na Avenida Atlântica no Rio de Janeiro. Em resposta aqueles que pregam o impedimento milhares de eleitores que apoiam a presidente entoaram a uma só voz: "Fica Dilma". A presidente em reunião com ministros  ameaça punir, com perda de cargos e benefícios, parlamentares da base aliada que votarem a favor do impedimento. Dilma Roussef diz não ter cometido nenhuma irregularidade e tenta justificar as "pedaladas fiscais" como necessárias ao Minha Casa Minha Vida. Na noite de  quarta feira a presidente teve encontro com Michel Temer para conseguir um mínimo de governabilidade.  O ministro Luiz Fachin do Supremo Tribunal Federal-STF suspendeu trabalhos da Comissão que vai julgar o pedido de impeachment de Dilma Roussef. O clima de votação para a escolha da Comissão que vai julgar o pedido de impeachment foi em clima de pancadaria, com socos, pontapés e urnas quebradas. No final a Comissão formada em desacordo com partidos governistas venceu, o que desagradou o Planalto e vai provocar novas reuniões pela madrugada. Políticos estão reunidos em Brasília para combinar se Dilma vai ser cassada ou vai permanecer no governo. Muitos fazem exigências descabidas em troca do apoio ou da rejeição do pedido da abertura do processo de impeachment. Uma raposa felpuda, que mais se assemelha a uma ratazana, declarou que vai querer muita coisa para decidir, afinal a eleição municipal vem aí.  A saída do ministro Eliseu Padilha do governo veio trazer dúvidas sobre a conduta do vice Michel Temer em relação ao pedido de impeachment. Padilha faz parte de um grupo do PMDB que age para que Temer assuma o poder. A presidente não acredita em rumores, que para ela não passam de intrigas palacianas, e pede fidelidade ao seu companheiro de chapa. A troca de acusações entre a presidente Dilma e Eduardo Cunha continua esquentando o clima em Brasília. Em sinal de abandono ao barco que começa a adernar, o ministro Eliseu Padilha pediu demissão após desentendimento com o Planalto. Padilha pertence ao PMDB, e é ligado ao vice Michel Temer.
Em visita ao Rio para um encontro com governador, o ex-presidente Lula pediu a Pezão para ser o líder de uma frente de governadores e prefeitos para barrar o impeachment. O pedido que soa como uma ordem para uns e um apelo desesperado para outros causou estupefação, face a total inexpressividade do vice de Sérgio Cabral. Comenta-se nas ruas que pode ser um tiro no pé, pela pouca ou nenhuma expressão do governador. Seria mais ou menos como o velho ditado "Não tem tu, vai tu mesmo", ou seja em uma total falta de lideranças de ambas as partes o desfecho deve ser o pior possível em um país onde os políticos primam pela mediocridade.
Em nítida atitude de vingança o presidente da Câmara Eduardo Cunha deu inicio a processo de impeachment da presidente Dilma, que prontamente convocou ministros e parlamentares para uma reunião em regime de extrema urgência. Dilma voltou às pressas de Paris, abandonou a  Conferência do Clima apesar de sua presença ser muito importante para explicar o desastre ambiental provocado pela Samarco/Vale no Rio Doce.  
Ao ser informada pela abertura do pedido de impeachment feito pelo jurista e ex-militante do PT Hélio Bicudo, a presidente fez um duro pronunciamento em que atacou o presidente da Câmara chamando-o de mentiroso e também alfinetou Cunha, ao dizer que não possui contas no exterior, e não ter feito nenhum tipo de barganha ao propor apoio a Cunha em troca do apoio do presidente da Câmara para barrar os diversos pedidos de impeachment. Eduardo Cunha ao ter conhecimento das declarações da presidente rebateu e chamou Dilma de mentirosa e de ter enganado a nação. Supremo rejeitou dois pedidos para barrar impeachment feitos pela base aliada. Governadores do Nordeste se reuniram e fizeram nota de apoio e total confiança à presidente, são Rui Costa da Bahia, Ricardo Coutinho da Paraíba, Flavio Dino do Maranhão, Paulo Câmara de Pernambuco. Robinson Farias de Rio Grande do Norte, Camilo Santana do Ceará, Wellington Dias do Piauí, Jackson Barreto de Sergipe e Renan Filho de Alagoas. No entanto o governador de Pernambuco desmentiu que tivesse assinado nota conjunta de apoio á presidente Dilma e contra a abertura do processo.  O clima em Brasília é extremamente tenso e densas nuvens negras pairam não só na capital, mas em toda a nação, que tem sua economia paralisada, com a maioria dos estados à beira da falência.

1 de dez de 2015

EDUARDO CUNHA PODE SER CASSADO

 CUNHA CHOROU AO RENUNCIAR À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA 
PARA PROCURADOR TRUSTE É ARTIFÍCIO PARA CAMUFLAR ORIGEM DO DINHEIRO
QUEIMA DE FOGOS EM BRASILIA COMEMORA SAÍDA DE CUNHA
O deputado Eduardo Cunha há meses atrás chorou ao renunciar à presidência da Câmara dos Deputados em Brasília e afirmou que a Câmara está acéfala e "numa interinidade bizarra", em relação à figura do deputado Valdir Maranhão. A noite de hoje vai ser decisiva para o julgamento do "todo poderoso" Eduardo Cunha. O relatório que pede a cassação do presidente da Câmara Eduardo Cunha no Conselho de Ética foi aprovado por dois votos de diferença, o que deixou seus aliados perplexos. A deputada Tia Eron surpreendeu ao votar e disse "Não mandem nessa Nega aqui". O juiz Sérgio Moro resolveu que a mulher de Eduardo Cunha a jornalista Claudia Cruz seja tornada ré na Lava-Jato por gastos excessivos com dinheiro provavelmente de origem escusa. Para os procuradores "criminosos modernos usam trustes para camuflar a origem do dinheiro", e as propinas oriundas de um desvio de contratos da Petrobras abasteceram as contas no exterior de Claudia Cruz.  O Conselho de Ética vai votar  pedido de cassação de Eduardo Cunha, após sucessivos adiamentos. A deputada Tia Eron PRB dará voto decisivo. O deputado Marcos Rogério-DEM relator do Conselho de Ética fez leitura do relatório em que pede a cassação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que, segundo o relator mentiu na CPI, pois sabia que era beneficiário de contas no exterior tendo apresentado declarações falsas. O ex-presidente da Câmara manobra com aliados e principalmente com seu substituto Waldir Maranhão para evitar processo na Comissão da Câmara dos Deputados que pode levar à sua cassação. Cunha mantém contatos diários com sua extensa base de correligionários que talvez sejam mais de trezentos "fiéis" totalmente comprometidos com o ex-presidente da Câmara. Enquanto fogos de artifício comemoravam o afastamento do presidente da Câmara, a chamada tropa de choque de aliados de Cunha preparavam estratégia para a sua manutenção. O deputado Eduardo Cunha acordou com a notícia de sua suspensão e sabe que poderá ser condenado na Operação Lava-Jato e perder todas as benesses que utilizou à exaustão. Sabe também que o sonho virou pesadelo e que não poderá usar a faixa e a cadeira da presidência se Michel Temer também for afastado, no caso de aprovado o impeachment da chapa Dilma/Temer. O ministro do STF Teori Zavascki determinou "A suspensão de Eduardo Cunha do exercício de deputado e por consequência da função de Presidente da Câmara de Deputados". A hipótese tirou o sono de alguns ministros do STF que reunidos discutiam uma solução jurídica. O ex-governador Anthony Garotinho em entrevista à uma rede de televisão e reproduzida no jornal o Dia disse que "Demiti Eduardo Cunha quando  Cunha era da CEHAB como ladrão. A câmara não pode ser presidida por um ladrão como ele". Ministros, deputados e ex-senadores em uma exibição de um vale-tudo de fazer inveja aos lutadores de MMA afrontam os mais elementares princípios da ética, dos bons costumes e das regras de convivência em sociedade. Temos visto dia após dia pancadaria, xingamentos, ameaças como as cenas distribuídas para todo o planeta que ocorreram no Conselho de Ética. O "Big Brother" Jean Willis deputado federal cuspiu no rosto do deputado e capitão Jair Bolsonaro durante  a sessão na Câmara dos Deputados. Mas o golpe final foi dado pelo "barraco" entre o virtual candidato a presidência da República José Serra e a ministra Kátia Abreu que após um gracejo feito por Serra atirou um copo de vinho no ex-ministro. O fato lamentável foi durante uma confraternização natalina. O presidente da Câmara sempre consegue  adiamento para formação de membros para seu julgamento pelo Conselho de Ética usando sempre artifícios legais, mas que põem em xeque a própria ética da comissão. O grupo de aliados de Cunha conseguiu afastar Leonardo Picciani da liderança do PMDB. Depois de ver prosseguir seu julgamento no Conselho de Ética o presidente da Câmara aceitou a abertura de pedido de impeachment contra Dilma Roussef  e passou a ler no plenário os motivos para prosseguir no pedido de impeachment. O documento apresentado pelos juristas tem 200 páginas e dá ênfase a um item que justificaria o pedido: "Proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo". Para Cunha as instituições brasileiras são muito sólidas e afirma que Dilma terá amplo direito de defesa para provar sua inocência. Para a presidente e aliados foi apenas uma retaliação. Muitos adiamentos  já blindaram o  deputado Eduardo Cunha-PMDB/RJ em  julgamento pelo Conselho de Ética, cujo relator é o deputado Fausto Pinato, por ter negado ter contas secretas em Banco da Suíça, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O Conselho de Ética vai julgar se prossegue com o julgamento do presidente da Câmara, que poderia suceder a presidente Dilma Roussef, em caso de afastamento, ou se arquivaria o processo. O deputado se intitula "O Defensor do Estado do Rio de Janeiro" e teve expressiva votação. Eduardo Cunha, se for condenado, promete retaliação, "contar tudo que sabe" e dar andamento ao Processo de Impeachment da presidente Dilma Roussef e segundo aliados de Cunha "botar muita gente na cadeia". Deputados do PT estão reunidos desde o início da manhã.

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna