18 de mar de 2016

COMISSÃO ESPECIAL ESTÁ REUNIDA NO SENADO PARA AVALIAR SE PROSSEGUE COM PEDIDO DE IMPEACHMENT

PRESIDENTE  DA CÂMARA DECIDE ANULAR PEDIDO DE IMPEACHMENT 
SENADO ESTÁ REUNIDO PARA AVALIAR DECISÃO  DO PRESIDENTE DA CÂMARA
DILMA  DEMONSTROU SURPRESA AO RECEBER A NOTÍCIA
O presidente interino da Câmara Valdir Maranhão-PP, que substituiu Eduardo Cunha decretou como nula a decisão que aceitou dar prosseguimento ao impeachment da presidente Dilma. No documento teria de haver outras cinco reuniões para ter validade ao andamento do processo. A decisão do domingo dia 17 de abril ficaria então anulada, sem nenhum valor. A mudança de percurso teria sido decidida no último final de semana em um encontro entre o deputado Valdir Maranhão e o governador do Maranhão Flavio Dino do PCdoB aliado da presidente Dilma e contra o pedido de impeachment.  A presidente Dilma Roussef disse ter ficado surpreendida, quando pela manhã recebeu a notícia. O processo de impeachment a que está sendo submetida a presidente Dilma teve parecer favorável do relator Antônio Anastasia por Crime de Responsabilidade. O processo deve ser instaurado  apesar dos protestos e muita polêmica, o PT desde o inicio não aceita o senador Antônio Anastasia do PSDB, que para diversos senadores não agiria com imparcialidade. O jurista Miguel Reali conforme rito processual faz perante os senadores, uma exposição para explicar o pedido de impeachment da presidente. O presidente da Câmara Eduardo Cunha entregou vasto relatório ao presidente do Senado Renan Calheiros para julgamento. Existe um pequeno detalhe, ambos estão sob suspeita de envolvimento em esquema de corrupção. A oposição venceu por larga maioria em uma reunião que vai ficar para a história, embora houvesse cenas dignas de um circo. A presidente fez discurso na tentativa de explicar a derrota e se disse "estarrecida" com os últimos acontecimentos e o cinismo de um traidor, no caso o vice Michel Temer que já se julga presidente, só faltando colocar a faixa e sentar no trono.
Há dia atrás o ex-ministro da justiça José Eduardo Cardozo em discurso inflamado pediu anulação do processo de impeachment a ser debatido no domingo ao Supremo Tribunal Federal por falhas que prejudicam o julgamento. O STF no entanto manteve a decisão para domingo conforme rito estabelecido. A presidente Dilma tinha dado entrevista e disse que "vai lutar até o último minuto" e que vai ter  votos a seu favor, isto é contra o que ela chama de golpe, e disse que não existe o "toma lá dá cá" e sim uma estratégia de convencimento e quer um "pacto nacional" entre diversas forças. Governistas, em especial o ex-presidente Lula e oposicionistas, em especial a dupla Temer/Cunha. fazem uma verdadeira caçada em busca de aliados para a votação em plenário do pedido de impeachment da presidente Dilma. A Comissão está reunida no gabinete de Eduardo Cunha e marcou para ser discutido no Senado a partir de quarta feira para ser votado dias depois. Há pouco mais de uma semana a Comissão Especial esteve reunida oficialmente desde às 10,30h de segunda e aprovou o parecer do deputado Jovair Arantes o que seria um indício da derrota em Plenário por larga margem. O resultado no painel eletrônico após a exposição das lideranças deu o seguinte resultado:38 votos favoráveis ao parecer pró impeachment e 27 contra. Ao ser proclamado o resultado a divisão se acentuou aos gritos de "Fora Dilma" e "Não Vai Ter Golpe". Surpreendente foi a mensagem do vice Michel Temer tornada pública em que ele se auto intitula presidente. A mensagem faz lembrar FHC quando candidato a prefeito em São Paulo resolveu posar para a posteridade sentado na cadeira oficial posando de vencedor. Mas foi derrotado nas urnas por Jânio Quadros que mandou desinfetar a cadeira. Será que a história se repete como farsa? O relatório da Comissão Especial que analisa o pedido de impeachment da presidente  foi debatido  na sexta feira feira em uma longa e tensa sessão que começou com um atraso de mais de uma hora  com previsão para ser encerrada às três da madrugada de sábado, mas que foi até às quatro horas e quarenta e dois minutos. Estavam inscritos 116 deputados, mas somente 60 puderam se apresentar para defender suas posições. 40 aprovaram o relatório, 20 ficaram contra e um deputado ficou em cima do muro.  Para o relator deputado Jovair Arantes em uma exposição de mais de cinco horas,  houve crime de responsabilidade por parte da presidente e faz-se necessário o processo de impeachment que de modo algum é um golpe de estado e sim visa preservar as instituições. O relator em sua longa exposição disse que a presidente deve ser responsabilizada por possíveis atos cometidos em seus dois mandatos e não somente no período atual. O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e atual advogado geral da União fez a defesa da presidente Dilma na segunda e vai pedir a anulação do processo por ser muito falho baseado em mandato anterior, isto é na primeira gestão de Dilma Roussef.  Para Cardozo o pedido não tem validade pois foi apenas uma vingança pessoal do presidente da Câmara Eduardo Cunha. A bancada evangélica e deputados do Partido Verde saíram da base governista e pedem afastamento de Dilma. A sessão mais tensa começou com um pedido do deputado Paulo Teixeira-PT para que fosse concedido de prazo de mais dez sessões para defesa de Dilma, pedido que não foi considerado. O ministro Nelson Barbosa apresenta defesa da presidente e afirma que não houve Crime de Responsabilidade. O jurista Miguel Reale Jr apresentou as justificativas para o pedido de impedimento da presidente Dilma. Para ele foi uma ação irresponsável de gastar sem limites ao acumular dívidas que não poderiam ser pagas, provocando grave desequilíbrio fiscal, o que caracteriza Crime de Responsabilidade. A maioria de deputados do PMDB partido mais forte da base aliada de sustentação da presidente Dilma ameaça sair do governo e votar a favor do impeachment o que pode ser decisivo.A Comissão Especial que vai analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef na Câmara dos Deputados iniciou seus trabalhos em uma convocação inusitada, às 9h da manhã de uma sexta feira, dia de folga tradicional dos parlamentares.  A Comissão na Câmara esteve formada com 65 membros de vários partidos. A presidente já foi notificada e tem prazo para apresentar sua defesa e  está reunida com seus ministros para avaliar a crise,  tomar medidas para neutralizar os seguidos ataques por parte da oposição. Eduardo Cunha vai convocar os deputados para os trabalhos às segundas e sextas feiras, dias tradicionais de folga, para a rápida conclusão do relatório da Comissão Especial.
 
 Na Câmara o  presidente foi o deputado Rogério Rosso e o relator da Comissão é o deputado Jovair Arantes do PTB de Goiás que tem bom transito com o presidente da Câmara Eduardo Cunha e também com o ex-presidente Lula. Alguns deputados membros da Comissão são investigados na Operação Lava-Jato, mas o nome que chamou mais atenção foi o do deputado Paulo Salim Maluf do PP de São Paulo, réu em alguns processos e que já foi procurado pela Interpol. O presidente da Comissão Rogério Rosso disse estar ao lado do povo e que é preciso ter serenidade e união. Para Eduardo Cunha qualquer que seja o resultado da Comissão vai ser submetido ao plenário da Câmara que, sem dúvida, segundo o presidente da Câmara, tem que estar em sintonia com a população. Para Cunha "A Comissão é um rito de passagem" conceito em Antropologia que estuda a transição dos indivíduos de um status para outro.

16 de mar de 2016

NUVENS DENSAS RONDAM O PLANALTO

DECISÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA TUMULTUA BRASÍLIA
TEMER ESCOLHE MINISTROS COMO SE FOSSE PRESIDENTE
VICE PRESIDENTE SERIA EDUARDO CUNHA CHAMADO DE LADRÃO POR ANTHONY GAROTINHO
Com uma crise jamais vista, com a presidente Dilma sem poder governar efetivamente e um vice que se auto intitula presidente, o país parece uma nave sem rumo em dias  sombrios. O presidente interino da Câmara Valdir Maranhão em uma atitude inusitada anulou as sessões dos dias 15.16 e 17 de abril que davam prosseguimento ao pedido de impeachment da presidente Dilma. Para muitos foi uma atitude estapafúrdia digna das "Organizações Tabajara" um ato de comédia pastelão. O procurador geral Rodrigo Janot faz denúncia contra o ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal-STF por suspeitas em tentar induzir o silêncio de Nestor Cerveró, um dos delatores, que foi diretor da Petrobras, envolvido na Operação Lava-Jato. Para o procurador uma organização a nível criminal não poderia ter prosperado sem que o ex-presidente Lula tivesse conhecimento e mesmo participado.  Uma tese combatida pela presidente, mas que pode ser aceita devido á pressão por parte de muitos setores é a renúncia de Dilma, do vice Michel Temer e a realização de novas eleições daqui a alguns meses. Existe um medo generalizado de que o presidente da Câmara Eduardo Cunha venha a assumir a presidência, ele seria o vice presidente em caso do afastamento de Dilma e caso Temer venha a assumir. Em recente entrevista publicado em O Dia o ex-governador Garotinho disse que Cunha é um perigo iminente e que demitiu Eduardo Cunha quando era presidente da CEHAB por roubo, e falou taxativamente: "Cunha é ladrão e não poderia ser presidente da Câmara".
 Vários ministérios estão sem ministros em compasso de espera. No Turismo aconteceu um fato inusitado. A "primeira dama do Turismo" esposa do ministro Alessandro Golombiewski apareceu na posse com um vestido ousado para mostrar seus únicos dotes. Ela já foi "Miss Bunda 2013" que talvez seja um requisito essencial em nossas terras, em dias atuais.
O vice-presidente Michel Temer em conversa telefônica com amigos disse estar com absoluta certeza do impedimento da presidente Dilma e faz discurso como se tivesse sido eleito para  presidente da República. Mas a base de governo disse que ainda é muito cedo, e muita água vai rolar, que Temer vai ter de esperar, e nunca vai ser eleito pelo voto direto.  A presidente Dilma quando soube por meio de assessores do conteúdo das mensagens do vice disse ter ficado "estupefata" e que "caiu a máscara do Michel Temer" e que ficou de modo claro que existe uma conspiração chefiada pela dupla TemerX Cunha. Em mais uma fase da Operação Lava-Jato o "Caso Celso Daniel volta á tona. A 27a Fase chama-se 'Carbono 14" que vai investigar o caso do assassinato do ex-prefeito de Santo André mesmo depois de quatorze anos. O ex- ministro da educação Cid Gomes entregou pedido de impeachment contra o vice presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, fato que causou espanto junto ao PMDB e ao vice presidente, que achou "tudo deprimente". Com decisão feita por aclamação, o maior partido da base aliada, o PMDB desembarca da base de sustentação do governo e parte para oposição aos gritos de "Fora PT" em reunião decisiva feita hoje. O comentarista da TV Cultura Luiz Flavio Gomes resumiu a entrada triunfal do grupo de líderes do PMDB com uma frase: "Quando vi a entrada de Temer com ar de empáfia tendo ao lado Romero Jucá, Renan e  Cunha pensei logo: São 500 anos de cadeia".  A presidente Dilma Roussef não vai mais ao encontro do presidente dos Estados Unidos para evitar que Temer fique em seu lugar e não saia mais. Henrique Alves do Turismo pediu demissão e entregou o cargo. Mais de 5mil cargos do segundo e terceiro escalão devem ser entregues. Para Jorge Picciani a presidente teria perdido condições de governabilidade e rejeição de mais de 60% da população. Mas muitos não pensam assim e consideram puro oportunismo de um partido sem nenhuma ideologia que só pensa em cargos para poder manipular possíveis eleitores. O líder do PT Humberto Costa em discurso inflamado disse que o vice Temer, que faz tudo para assumir a presidência vai ser o próximo a cair.  Mais de 300 homens da Policia Federal cumprem mandados de busca e apreensão e condução coercitiva em vários estados em mais uma fase da Operação Lava-Jato, o foco principal da "Operação Xepa" foi a empreiteira Odebrecht. A presidente Dilma fez duro discurso atacando a oposição que estaria rasgando a constituição tramando contra a ordem constitucional, ao afirmar que não há nenhuma base para o pedido de impeachment e disse em alto e bom tom: "Não Vai Ter Golpe". O senador José Serra-PSDB teve encontro com o vice Michel Temer e já pensa em um futuro ministério caso a presidente Dilma seja afastada, embora ainda faltem muitos passos para o julgamento do processo para pedido de impeachment da presidente, que pode ser aprovado ou mesmo arquivado. Manifestações de apoio ao ex-presidente Lula, à presidente Dilma Roussef e contra o juiz Sérgio Moro reuniram milhares de pessoas em todas as capitais do país. Juiz concedeu liminar que impede posse de Lula como Ministro da Casa Civil. José Eduardo Cardoso diz que está com recurso para cassar a liminar. O juiz Itagiba Catta Preta que concedeu a liminar já havia se manifestado publicamente contra  a presidente e contra Lula e o PT. A presidente Dilma Roussef fez longo discurso durante a posse de Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil, na prática um superministério. Criticou em especial os grampos feitos em conversas dela e de ministros pelos juízes da Operação Lava-Jato, "Estamos diante de um fato grave que afronta a democracia e que abre um precedente gravíssimo ". O vice Michel Temer não compareceu em represália ao ministro do PMDB que aceitou ministério, o que pode agravar a crise em Brasília. No inicio da tarde de ontem  grupo de manifestantes em frente ao Palácio do Planalto protestam contra a indicação de Lula anunciada pela presidente em coletiva. O número de pessoas foi aumentando e houve a tentativa de subir na rampa e entrar no palácio e foram impedidos pela guarda. A antecipação da posse para amanhã quinta e a divulgação de grampos telefônicos feitos em diálogos entre Lula e Dilma acirraram os ânimos. Na parte da tarde a presidente Dilma deu entrevista coletiva sobre mudanças de ministério e rumos da economia e principalmente em relação á vinda do ex-presidente Lula para o governo. O ex-presidente Luiz Inácio Lula vai assumir a Casa Civil da Presidência da República no lugar de Jacques Wagner com plenos poderes.  O cargo é de fato um ministério privilegiado, com um gabinete no palácio do Planalto um andar acima da sala da presidente Dilma que está reunida com Lula e ministros de sua confiança. Aloisio Mercadante ministro da educação e do círculo de pessoas da presidente, não foi chamado e pode perder o cargo por ter sido citado pelo senador Delcídio Amaral na delação premiada em gravações que podem comprometer mais ainda o Partido dos Trabalhadores e que desagradaram profundamente Dilma Roussef. Para ela a gravação se tornada a pública deveria ter sido na íntegra e não partes dela, que podem modificar o sentido da peça integral.
 
Na prática o ex-presidente Lula ameaçado de prisão preventiva na Operação Lava-Jato conduzida pelo Juiz Sergio Moro no Paraná pode ter seu processo transferido para o Supremo Tribunal Federal-STF com a prerrogativa de ser julgado em foro privilegiado. Para a oposição foi uma blindagem para proteção de Lula, e pretendem recorrer com o argumento de obstrução da justiça em benefício próprio. Poderia haver também mudanças na política econômica em relação ao crédito principalmente para pequenas e médias empresas.  Em relação às reservas Dilma disse que "Eu e Lula construímos nossas reservas. Existem apenas especulações que só beneficiam aqueles que querem desconstruir a nação".  E completou que vamos continuar firmes em relação ás nossas reservas, o resto são especulações e o Ministro Nelson Barbosa não vai sair do governo.  

4 de mar de 2016

LULA CONDENADO NA JUSTIÇA DO PARANÁ

JÁ COMEÇOU A BATALHA DO PARANÁ. EX-PRESIDENTE CONDENADO PELO  JUIZ SÉRGIO MORO EM CURITIBA SOBRE O TRÍPLEX DE GUARUJÁ
LULA  REBATEU ACUSAÇÕES DIZ QUE VAI SER CANDIDATO A PRESIDENTE E ESTÁ INDIGNADO COM "SHOW DE PIROTECNIA"
O ex-presidente Lula foi condenado a nove anos de prisão em regime fechado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro pelo Juiz Sérgio Moro, pelo caso do Tríplex de Guarujá, mas vai poder recorrer em liberdade.  Em entrevista um dia após a condenação em primeira instância Lula diz que o Juiz Moro não tem provas contra ele e que vai ser provada sua inocência e vai ser novamente presidente eleito pelo povo. Foi condenado porque  teria recebido o apartamento como pagamento de propina do Grupo  OAS. Se o recurso for negado e a condenação for confirmada Lula vai ficar inelegível e nem poderá ocupar cargo público por dezenove anos, o que na prática seria seu enterro político.
 As idas e vindas do "Caso Lula" já duram um bom tempo. O ex-presidente Lula já havia feito um longo  depoimento de quatro horas na quarta feira 10/04/2017, na justiça do Paraná ao juiz Sergio Moro na Operação Lava-Jato sobre o caso do apartamento em Guarujá. Na saída o ex-presidente fez um comício para milhares de correligionários e se disse inocente das acusações e perseguição política.  Dilma Roussef também fez um discurso defendendo Lula.
Foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
O ex-presidente Luís Inácio Lula é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. As gravações do depoimento que seriam feitos pela defesa foram negadas e as gravações oficiais foram disponibilizadas logo após o término do depoimento .  Centenas de manifestantes a favor e contra o ex-presidente se deslocaram para Curitiba e forte segurança de mais de 3 mil homens isolou o local temendo protestos violentos.  Lula já havia feito depoimento na Justiça Federal em Brasília e negou que tivesse relações de amizade com Nestor Cerveró um dos diretores da Petrobrás preso pela Operação Lava-Jato. Lula disse estar revoltado com as seguidas acusações, segundo ele todas sem fundamento e ao dirigir-se ao juiz disse estar indignado em ver todo o dia repórteres cercando sua casa à espera de uma hipotética prisão e acha lamentável o Partido dos Trabalhadores  ser tachado de "organização criminosa".
Há alguns anos atrás   a ex- presidente Dilma, um dia após o depoimento de Lula debaixo de vara, foi ao encontro do ex-presidente para prestar solidariedade e traçar uma estratégia para os próximos dias, face ao que considera ataques indevidos por parte do juiz Sergio Moro e de membros da Operação Lava-Jato. A presidente achou a "condução coercitiva" um ato de força e totalmente desnecessária. O ex-presidente deu entrevista após o depoimento na Operação Lava-Jato e se julgou indignado pela maneira a que está sendo conduzida a investigação. Para Lula é apenas "um show de pirotecnia" orquestrado por parte da imprensa, interessada em prejudicar as instituições. Acusou diretamente a imprensa entre elas a Revista Época de querer manipular os fatos e influenciar o andamento do processo. convocou a militância, pretende percorrer todo o país em uma nova cruzada, provavelmente antecipando a campanha para a presidência de 2018.  O ex-presidente Lula foi obrigado a depor na 24a fase da Operação Lava-Jato chamada de "Operação Aletheia", palavra grega que significa verdade e também revelado. Além disso é também usado em psicologia quando se procura a verdade por detrás das aparências. O termo foi usado também por escritores ligados ao nazi-fascismo. Duzentos policiais federais e auditores da Receita Federal cumprem mais de quarenta mandados de prisão em São Paulo, Rio de Janeiro e na Bahia. A fase da Operação apura possível favorecimento ao ex-presidente Lula ao apartamento tríplex em Guarujá e também em sitio em Atibaia.´

 Em São Bernardo do Campo correligionários de Lula e opositores entraram em confronto, que  se transformou em uma pancadaria e tumulto generalizado obrigando à intervenção policial.  O auditor Roberto Lima fiscal da Receita Federal apura possíveis irregularidades em palestras do ex-presidente e no Instituto Lula dirigido por Paulo Okamoto.
O procurador Carlos Fernando Santos Lima deu entrevista coletiva e diz ser necessário desmontar uma organização criminosa que deve ser extinta. Para ele "não existe ninguém acima da lei" e que Luiz Inácio Lula da Silva não tem mais foro privilegiado. O nosso objetivo é conseguir provas, não temos nenhuma conotação política. Em resposta a um repórter o procurador diz que existem indícios de envolvimento do ex-presidente que teria recebido vantagens indevidas de empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato. As investigações apontam para Lula e o Partido dos Trabalhadores e segundo o procurador  "temos indícios e informações suficientes para andamento das investigações".

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna