7 de set de 2016

CERCO AOS APOSENTADOS: A REFORMA VAI PREJUDICAR MILHÕES

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: DEPUTADOS ENVOLVIDOS EM CORRUPÇÃO QUEREM VOTAR AS REFORMAS SEM UM ESTUDO APROFUNDADO
ALGUNS PARTIDOS ABANDONAM GOVERNO E VOTAM CONTRA A REFORMA
PROTESTOS EM TODO O BRASIL CONTRA  REFORMAS  
 MAS O POVO PERGUNTA: "ONDE ESTÁ O DINHEIRO?"
O governo Temer está mais firme do que nunca. Até o PSDB reconheceu que a "Democracia de Cooptação" que vem a ser exercido por todos que estão no poder é eficaz para se manter no poder, mas danosa para a população. Com a possibilidade cada vez mais distante do impeachment do presidente, deputados querem votar as reformas a toque de caixa, sem consulta à sociedade. Para juristas o Governo Temer acabou, está totalmente sem credibilidade após a série de denúncias que partem de todos os lados. Para o professor Modesto Carvalhosa Temer não tem mais condições de governabilidade por não ter mais nenhuma credibilidade depois das gravações que vieram à tona na conversa comprometedora com Joesley Batista.
Após ter conseguido uma vitória, de certa forma parcial, da Reforma Trabalhista governistas após uma série de jantares resolveram adiar a votação da Reforma da Previdência com medo de uma derrota. Temer vai tentar induzir deputados e senadores usando todas as formas de persuasão inclusive a mais eficiente, a compra de votos por meio da distribuição de cargos, benesses e talvez algum numerário, afinal os "nobres representantes do povo" não tem muita consistência ideológica e dizem ganhar muito mal. Os "representantes do povo" são como dizem no Nordeste "Bosta n' Água", ou seja ora ficam de um lado, ora ficam no lado oposto, conforme o cheiro do dinheiro.
Milhões de brasileiros protestam contra a malfadada Reforma da Previdência, ponto de honra da "Era Temer" e alguns partidos como o PSB começam a abandonar o presidente interino e seu pacote de maldades contra a população. Parlamentares sabem que não vão conseguir a sonhada reeleição se votarem medidas para aprovação  das reformas.  Michel Temer dá ordens para que 15 ministros deixem suas pastas para votar a favor da aprovação.  Enquanto isso ofereceu um lauto banquete para saciar a fome, não de justiça, mas para conseguir aprovar o malfadado pacote de mudanças na aposentadoria e já conseguiu com o apoio do Congresso o desmonte de direitos trabalhistas que foram conseguidos com muita luta.  Michel Temer e seu grupo de "notáveis" quer acelerar a Reforma da Previdência e ameaça cortar programas sociais como o Bolsa Família  se não for aprovada. Parece chantagem, e é.
Brasília vive cria clima de desconfiança,  deputados são ameaçados de punições severas se votarem a favor da população e foram orientados para empurrar de qualquer forma, pela calada noite a Reforma da Previdência. A reforma é ponto de honra do Governo Temer  que vai ser enfiada pela goela a dentro de milhões de trabalhadores aposentados que trabalharam anos e anos a fio, em condições na maioria das vezes desfavoráveis, sacrificando parte de suas vidas para encher a pança e os bolsos de seus patrões. Com um Congresso que só pensa em seus próprios interesses e no toma lá dá cá em nome de uma falsa politica de alianças, Temer vai "convencer" os mui nobres parlamentares a apoiar tudo que lhe foi sugerido e que vai ser mais um golpe na classe trabalhadora, mas vai beneficiar os marajás de Brasília e os banqueiros transnacionais.  O propalado Rombo da Previdência é de fato uma sucessão de irregularidades, desde  desvio de dinheiro para outras funções que não tem nada a ver com uma compensação por anos e anos de trabalho de sol a sol ou quem sabe em vez de Rombo melhor seria empregar outra palavra, aí o "Japonês da Federal" poderia intervir. O ataque, como sempre vai atingir de início os mais fracos, aposentados que no final da vida veem seus minguados salários irem murchando cada vez mais. Enquanto isso parlamentares e membros do judiciário não abrem mão de aumentos bem acima da inflação para cobrir seus gastos nababescos e seus jantares carnavalescos como um certo governador que dançava em Paris com guardanapo na cabeça, ao lado de empreiteiros bilionários, contribuiu para a falência de um estado e continua leve e solto sem ainda não ter sido julgado.
Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
Uma das clausulas é acabar com a paridade entre servidores em atividade e os inativos, não haveria mais o mesmo reajuste de salários. A elevação compulsória para 65 anos indistintamente, vai penalizar a todos, tendo como consequência atingir mulheres que tem dupla função, além da jornada de trabalho tem ainda a jornada caseira, visto que o número de creches é mínimo, embora os governos tenham obrigação de manter. Muitos brasileiros, principalmente entre as classes desfavorecidas trabalham desde muito cedo, desde a idade escolar para ajudar a renda familiar, em um país onde as taxas de desemprego são alarmantes.
O ministro Henrique Meirelles segue as normas dos agiotas do FMI para encobrir a verdadeira situação. O propalado "Rombo da Previdência" é uma grande falácia, um artificio analítico, uma hábil engenharia contábil para encobrir os bilhões de reais que ano após ano desaparecem dos cofres da previdência. A economista Denise Gentil desmonta a tese, para ela uma grande falácia,  ao invés de um déficit o que existe de fato é um excedente de recursos desviados para outras finalidades. Milhões descontam religiosamente mês após mês durante mais de 30 anos e não utilizam ou pouco utilizam os benefícios a que teriam direito. Fica uma pergunta: Para onde foi o dinheiro?.
A grande maioria de brasileiros não tem a mínima informação sobre a situação atual da Previdência Social e das consequências das modificações que já estão na mesa dos governantes à espera de uma penada que vai punir a muitos e satisfazer apenas a uma minoria, mas  que detém os destinos da nação. Tristes Trópicos.
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna