31 de out de 2016

NO RIO DE JANEIRO PREVALECE O DESCRÉDITO

APÓS O IMPEDIMENTO DE DILMA ELEITORES NÃO COMPARECEM PARA VOTAR
CRESCE O DESCRÉDITO NOS PARTIDOS E CANDIDATOS. VAI SER UM DESAFIO PARA NOVO PREFEITO CONVENCER DESCONTENTES
Estamos ás vésperas da posse de um novo prefeito que vai governar uma cidade imensa no centro de um estado falido e de um país á beira da falência. Marcelo Crivella já foi diplomado, só falta começar a governar a partir de um novo ano que se avizinha. Na cidade do Rio de Janeiro quem venceu a eleição foi o não voto, a soma dos votos nulo, abstenções foi superior aos votos do prefeito eleito Marcelo Crivella. Infelizmente é a "cultura do descrédito", as pessoas, em sua maioria não acreditavam nem no bispo Marcelo Crivella nem no deputado Marcelo Freixo. O novo prefeito vai enfrentar enorme desafio para tentar convencer eleitores descontentes que não acreditam em falsas promessas, principalmente no ano de 2017 em que a verdadeira situação financeira da cidade vai mostrar sua verdadeira face, sem nenhuma maquiagem.

Foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Marcelo Crivella foi comemorar sua vitória com seus fiéis em seu principal reduto eleitoral Bangu, Zona Oeste.
Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
No Rio de Janeiro tradicional reduto da oposição, o número de votos nulos ou abstenções foi o maior verificado em todo o país. Este número é bem maior que os votos obtidos pelo prefeito eleito o senador e ex-ministro da Pesca no governo Dilma Marcelo Crivella. Mais de 2 milhões eleitores preferiram não votar ou anularam o voto, enquanto o candidato eleito do PRB teve 1, 7 milhão de votos válidos. Para o eminente cientista político Paulo Baia da UFRJ o crescimento do eleitor que não vota em ninguém teve um grande crescimento "vem demonstrar que não acreditam nem no sistema político, nem nos partidos" declarou em entrevista a O Globo. O ex presidente Lula e Dilma Roussef afastada da presidência após sofrer processo de impeachment também não compareceram às urnas  em suas cidades.

30 de out de 2016

ROCINHA ESCOLHE PREFEITO EM DISPUTA ACIRRADA

SEGUNDO TURNO NA ROCINHA FOI DISPUTADO VOTO A VOTO MAS DEU CRIVELLA NA CABEÇA
EM UMA DAS VIAS PRINCIPAIS UM AVISO DE QUEM MANDA: ADA-MACACO
MUITOS ELEITORES DECIDIRAM O VOTO DURANTE A SEMANA
Na Rocinha em de seus principais acessos uma pichação que serve como lembrete de quem manda: "ADA-Macaco", a sigla da rede criminal Amigos dos Amigos e de seu representante local Antônio Bonfim Lopes o Nem, para os mais íntimos Macaco, que mesmo em presídio de segurança controla a venda de drogas na localidade . O bispo da IURD e senador Marcelo Crivella venceu a eleição. A imensa população da Rocinha espera que as promessas feitas durante a campanha sejam cumpridas e deseja um bom governo ao candidato eleito.
 O IBOPE fez pesquisas de boca e urna no município do Rio de Janeiro e deu como certa a vitória de Marcelo Crivella com 57% de votos válidos contra 43% do candidato do PSOL Marcelo Freixo. Com 7% das urnas apuradas o resultado oficial é Crivella 54% e Freixo 46%. A"Maior Favela da América do Sul" teve um segundo turno bem disputado. O número de eleitores do deputado Marcelo Freixo-PSOL apresentou crescimento depois do debate transmitido pela TV Globo, e também pelas denúncias contra o senador Marcelo Crivella em situações ocorridas há alguns anos. O número de cabos eleitorais do candidato do PSOL foi bem maior e mais animado do  que no primeiro turno procurando convencer eleitores de ultima hora a votar em seu candidato. Freixo votou no Leblon e disse estar confiante e pede aos cariocas que não anulem o voto.
Na via Ápia foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
 A panfletagem a favor do bispo Marcelo Crivella estava mais concentrada em frente ao templo da IURD a Igreja Universal do Reino de Deus no Largo das Flores. Crivella do PRB votou em Copacabana e disse estar certo da vitória.Apesar da forte chuva o número de votantes foi bem grande, afinal a Rocinha espera que as promessas que tem sido feitas a cada eleição sejam cumpridas. Mesmo sendo domingo e um "feriado cívico" moradores faziam discretamente uma fezinha, nos inúmeros pontos espalhados pela imensa favela. Afinal de contas quem sabe um dia a sorte pode sorrir e o jogador acertar no milhar e fazer a festa.
foto Alcyr Cavalcant all rights reserved
 

22 de out de 2016

O MARACANÃ NÃO É NOSSO E A NOVELA CONTINUA

   Domingo eu vou ao Maracanã,
  Vou torcer pro time que sou fã
  Vou levar foguetes e bandeira,
  Não vai ser de brincadeira
  Ele vai ser campeão
Neguinho da Beija Flor

CAVENDISH AMIGO DE CABRAL AFIRMOU QUE CABRAL PEDIA 5% DE PROPINA
PARA AS OBRAS DO MARACANÃ
 FLAMENGO CONSEGUIU APOIO DE CRIVELLA PARA CONSTRUIR ESTÁDIO
CAMPEONATO JÁ COMEÇOU, MAS O MARACA TEM COBERTURA CONDENADA 
Mais um episódio da 'Novela Maracanã". O empresário Fernando Cavendish da Delta Engenharia que pertencia ao círculo fechado do ex-governador e ficou famoso no episódio dos guardanapos na cabeça, afirmou ao juiz Marcelo Bretas que na obra do Maracanã Cabral pediu 5% de propina e não era caixa dois e assim desmentiu Sergio Cabral preso em Benfica.
O Flamengo insiste em jogar no campinho chinfrim da Ilha do Urubu onde tem perdido uma série de jogos e deixando seus milhões de torcedores  do lado de fora curtindo o jogo no radinho de pilha. Em um jogo internacional pela Copa Sul Americana apenas cinco mil pagaram ingresso no "alçapão da Ilha".  O rubro negro que sonha ter estádio próprio conseguiu aval do prefeito Marcelo Crivella para construir o seu e também um shopping na Gávea o que pode dar um enorme impacto ambiental e piorar de vez o transito na Zona Sul Mas fica a pergunta com quatro grandes estádios teremos público suficiente com jogos medíocres e sem atrativo levaremos público para encher os estádios?. O presidente do Flamengo Eduardo Bandeira diz que não joga no Maracanã se a empresa francesa Lagardère passar a administrar o estádio. A Lagardère desistiu do Maraca e não confia no governador Pezão que não cumpre a palavra nem respeita contratos. A lona da cobertura do estádio está danificada pelos fogos durante a Olimpíada e foi condenada após uma inspeção criteriosa e põe em risco os torcedores .
O rubro-negro diz que prefere jogar no estadinho da Ilha do Governador que não cabe nem 20 mil pessoas. É o retrato de um futebol confuso, mal administrado que explora os verdadeiros torcedores que são sócios e abre as pernas para os marginais das "torcidas organizadas".
Na primeira fase da competição o Fluminense venceu Flamengo na decisão por penalties e o herói foi o goleiro Julio Cesar que defendeu duas penalidades e os vilões foram os zagueiros rubro negros que desperdiçaram duas penalidades. O jogo da final da Taça Guanabara foi no Estádio Nilton Santos devido à  novela Maracanã que parece nunca chegar ao seu final. A francesa Lagardère e a GL Eventos tentam administrar o estádio ainda esta semana mas o impasse continua e o estádio continua às baratas em total abandono. O Fla X Flu foi no Engenhão, mas com liminar que derrubou a tese de torcida única do Fluminense, devido á selvageria de marginais travestidos de torcedores do Flamengo que resultou no assassinato de um torcedor do Botafogo morto estupidamente com espeto de churrasco. O presidente do Botafogo, responsável pelo Engenhão é contrário à presença de torcida organizada do Flamengo devido ao bárbaro assassinato do torcedor alvinegro.
Há um mês atrás    Botafogo X Flamengo  disputado fora do Maracanã devido ao impasse sobre a reabertura do estádio que já foi o maior do mundo. O campeonato estadual já começou sem uma decisão sobre o Maraca. A triste situação de um estádio que já foi um atrativo para milhares de turistas é um reflexo do descaso e da irresponsabilidade dos governantes e também da empreiteira que ficou com a responsabilidade de zelar por um patrimônio de toda uma cidade e porque não, de uma nação. Símbolo de um futebol cinco vezes campeão o Maracanã está abandonado entregue aos ratos e baratas. Os clássicos do campeonato estadual vão começar e não teremos tão cedo o "templo do futebol" para a festa do futebol carioca. É o retrato sem retoques de um estado totalmente sem governo, totalmente falido.
 No domingo 23 de outubro de 2016, depois de um longo e tenebroso inverno, os cariocas  puderam gritar "O Maraca é Nosso". Após muita negociação um estádio que já teve mais de 180 mil torcedores em festa, mas que o "Padrão FIFA" encolheu para pouco mais de 70 mil vai de novo trazer alegria às tardes cariocas de domingo. Um Flamengo e Corinthians pra ninguém botar defeito. O Rubro Negro ainda sonhava com a Taça e o Corinthians sob nova direção, animado com a fase de recuperação e sonhando com a Libertadores. Ninguém poderia prever um resultado, que acabou com um empate de 2X2, que deixou a imensa torcida ver o sonho da taça cada vez mais longe.
Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Em um clássico desses não existia favorito, mas o Flamengo animado depois de ter recuperado os três pontos da vitória sobre o Fluminense, com uma torcida que vai encher a Arena, como ficou conhecido o estádio depois de ter sido adaptado às regras da FIFA para a Copa 2014 vai contar com mais de 60 mil dando o grito de guerra e animando seus jogadores. Depois deste clássico nacional a solução é torcer para esta situação de irresponsabilidade ser logo resolvida para poder  festejar e poder  cantar nos grandes jogos com o sucesso de Neguinho da Beija Flor "Domingo eu Vou ao Maracanã".

20 de out de 2016

CUNHA É PRESO PELA POLICIA FEDERAL E VAI PARA AS MÃOS DO JUIZ

COMEÇAM AS FAIXAS DE PROTESTO "FORA RENAN"
O SENADOR  PODE SER A PRÓXIMA VÍTIMA E PASSA A ACUSAR TODO MUNDO
JUIZ MORO CHAMA CUNHA DE "SERIAL KILLER"
MICHEL TEMER ANTECIPA VIAGEM E VOLTA PARA O BRASIL
EDUARDO CUNHA É UM "ARQUIVO IMPLACÁVEL" E SUA PRISÃO DEIXA POLÍTICOS APAVORADOS SEM CONSEGUIR DORMIR
Eduardo Cunha continua preso, mas pede para ser solto, pois considera sua prisão sem nenhum sentido. Enquanto isso o senador alagoano Renan Calheiros que pode ser o próximo a virar réu passa a usar o ataque como forma de defesa e chama o Ministro da Justiça de "Chefete de Policia", em uma atitude desesperada e entra em rota de colisão com Judiciário.
 A prisão do ex-todo poderoso Eduardo Cunha, que quase chegou à Presidência da República era esperada, mas sempre havia no ambiente político brasileiro, em especial em Brasília uma esperança de que ele conseguisse mais uma vez sair ileso Preso em Curitiba, por ordem judicial recebeu a visita de sua esposa, a jornalista Claudia Cruz ex apresentadora da TV Globo que não deu entrevistas. O presidente Michel Temer, em viagem oficial  veio correndo para o Brasil para assumir os acordos e possíveis desacordos, visto que quase todos poderiam estar no "Dossier Cunha". Cassado há um mês o deputado que chegou ao posto de presidente da Câmara sempre foi uma pessoa de grande influência e temido por todos. A presidente Dilma Roussef afastada pelo processo de impeachment conduzido por Cunha, foi obrigada a contragosto a "pedir a benção" àquele que era chamado nos bastidores de "Coisa Ruim" por um jornalista que transita entre os mandatários da nação.
Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved

Um dos pedidos para a prisão do ex deputado foi a possibilidade, segundo o juiz, de uma fuga para o exterior. Eduardo Cunha que tem dupla nacionalidade , italiana e brasileira poderá fazer a chamada "delação premiada" ou a "deduragem" oficializada e celebrada pelos mandantes da nação. No entanto oficialmente o governo ainda não fez nenhuma declaração oficial. De funcionário e diretor da TELERJ, empresa de telefonia a "quase presidente" Cunha é um "Arquivo Vivo" e bem vivo. Dotado de grande inteligência e excelente memória ele tem guardado situações desagradáveis que poderiam abalar a já extremamente debilitada política nacional. O que vai acontecer, o que será do amanhã?  só Deus sabe e Eduardo  Cunha também.  

13 de out de 2016

CRISE NA SEGURANÇA: UMA AMEAÇA À POPULAÇÃO

POLICIAIS PEDEM SOCORRO E AUTORIDADES FINGEM QUE NÃO SABEM
PEZÃO FICA CONFUSO E ADMITE QUE NÃO SABE NADA DE SEGURANÇA AUMENTA A VIOLÊNCIA EM TODO O ESTADO E O GOVERNO FEDERAL FICA INDIFERENTE
"OPERAÇÃO CALABAR" DESMONTA UMA REDE DE CORRUPÇÃO DE PMS
NA CIDADE CENTENAS DE VIATURAS DA PM ESTÃO PARADAS POR FALTA DE MANUTENÇÃO HOMICÍDIOS NO BRASIL BATEM RECORD AQUI MATA-SE MAIS DO QUE NO IRAQUE  OU NA SÍRIA E O NÚMERO DE POLICIAIS MORTOS PASSA DOS CEM
A crise na segurança chegou ao auge. Policiais pedem socorro (SOS) em uma demonstração do fracasso de uma política de segurança. Se aqueles que protegem a sociedade pedem socorro como fica o cidadão?? O país enfrenta grave crise na segurança e o governo federal fica omisso somente preocupado em acordos e conchavos feitos para garantir projetos que só interessam a eles mesmos e prejudicam a população. Reuniões e mais reuniões, Pezão deixa o Rio abandonado, larga o Spa luxuoso e vai correndo até Brasília e depois volta para as imerecidas férias.
Na "Operação Calabar" da Policia Civil para desbaratar uma verdadeira quadrilha formada por PMs e narcotraficantes, foram presos mais de oitenta policiais militares e vinte e dois traficantes em um esquema de corrupção em São Gonçalo. Com um governador omisso e irresponsável a bandidagem faz o que quer e a população fica totalmente indefesa. No dia em que se fazia um Ato Pela Paz em Ipanema, tiroteio no Pavãozinho, ônibus incendiado em protesto na Mangueira, assaltos em todo canto e arrastão na Via Dutra.
Segundo índices oficiais nunca se matou tanto quanto no Brasil, aqui morre muito mais gente vitimados pela violência do que na Guerra da Síria, no Iraque ou no Afeganistão. Um dos problemas que tem agravado a Crise na Segurança do Estado é o enorme número de viaturas que estão paradas por falta de manutenção. Chega a quase mil os carros enguiçados, são 990 conforme reportagem de O Dia. Em toda a cidade as cabines da PM para proteger os cidadãos também estão abandonadas.
  A omissão do governador Pezão que alega falta de dinheiro para a segurança pública coloca em risco toda a população que enfrenta uma onda de violência. Os episódios  que aconteceram no Espírito Santo deixando rastro de destruição com muitas mortes e feridos em estado grave deveriam servir de alerta não só para os governantes e policiais do Rio de Janeiro, mas principalmente para o governo federal que poderá ter de intervir para proteger a população.
A crise que assola o Estado do Rio de Janeiro após doze anos de desgoverno sob o domínio do PMDB arruinou as finanças de um estado pujante e coloca em risco uma enorme população afetada por inúmeros problemas sem nenhuma solução à vista. Agentes do sistema prisional resolveram acatar decisão judicial e retornaram ao trabalho devido à crise no sistema prisional.
 José Mariano Beltrame quando se afastou da secretaria fez duras críticas aos governantes por não ter recebido apoio durante sua gestão à frente da segurança no Rio de Janeiro. A crise da segurança no Estado do Rio de Janeiro acelerada com os pedidos de demissão do Secretário José Mariano Beltrame e do Chefe de Policia Fernando Veloso, ambos em rota de colisão com o governador e agravada pelo estado de calamidade que assolou um dos estados mais prósperos do Brasil. Desde seu inicio a política de segurança baseada no Projeto de Pacificação das UPPS esteva ancorada em conceitos discutíveis e não adaptados à nossa realidade. De fato a política era baseada em um eixo principal, o ataque à violência que estaria somente enquistada nas favelas.
Photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved
As favelas  seriam a fonte de todos os males, bastaria isolar as favelas através de um "cinturão de segurança cirúrgico" para que a violência terminasse, conceito antigo mas persistente, amplamente contestado pela antropóloga Janice Perlman em sua obra  "O Mito da Marginalidade". Mas a realidade é bem outra, a violência é um fenômeno difuso espalhado por todas as grandes cidades e não é em nosso caso culpa exclusiva do narcotráfico, um fenômeno global perfeitamente inserido na economia de mercado, com altas taxas de lucro. As UPPS parecem ter vindo somente para acalmar a bandidagem e tentar convencer os milhões de turistas que viriam para os megaeventos a Visita do Papa, Copa do Mundo e Jogos Olímpicos num "Cerco Cirúrgico às Zonas Vermelhas", conceito baseado na Guerra Fria e adotado pela Escola Superior de Guerra-ESG difundido no estado pelo ex-secretário de segurança Nilton Albuquerque Cerqueira nos anos oitenta.  O projeto mesmo nas favelas ocupadas não teve o êxito esperado. A desconfiança com os novos "donos do morro" ou seja os PMs, na maior parte despreparados para a convivência diuturna com a população, em sua maioria trabalhadores ou pessoas à procura de trabalho sobrevivendo cada um à sua maneira, às vezes em pequenos serviços e biscates. O estranhamento entre policiais que ocupavam território e moradores chegou ao ponto crítico com o "Caso Amarildo" na Rocinha, a localidade de maior visibilidade não só pela sua localização estratégica e também pelo seu tamanho e população. Fica situada entre dois bairros nobres e no meio da ligação entre Gávea e Barra da Tijuca, um dos acessos à Zona Oeste através do Túnel Zuzu Angel. O desaparecimento do pedreiro Amarildo após torturas e morte foi mais um caso entre inúmeros casos devido a uma técnica de tortura empregada em alguns casos com o nome sugestivo de "Técnica de Investigação Intensiva", talvez intensiva demais. A ocupação pela PM sempre treinada para o combate, uma máquina de guerra preparada para o confronto, principalmente depois da criação de unidades especiais como o BOPE da Policia Militar e posteriormente da CORE da Policia Civil. Mas o setor de investigação que facilitaria o trabalho da segurança não aconteceu, e as melhorias prometidas também não vieram. Os sucessivos programas de crescimento, de ordem federal, PAC-1, PAC-2 e sua continuação PAC-3 tiveram pouca implantação, somente algumas melhorias foram feitas no primeiro programa e muitas nem sequer foram iniciadas, ficaram no papel, embora em alguns casos verbas tenham sido destinadas, mas por um mistério não foram empregadas. A chamada UPP Social não saiu dos discursos em época de eleição, mesmo assim talvez por um ponto futuro, o prefeito da cidade Eduardo Paes recebeu prêmio em Medellin na Colômbia pelas qualidade de serviços em favelas e periferias urbanas, Muita propaganda e poucas realizações, as favelas continuam sem serviços básicos de saneamento, assistência médica, frentes de trabalho, aumento  de creches e escolas enfim continuam ao "Deus Dará".  O Chefe de Policia Fernando Veloso e o Secretário Beltrame ao pedirem demissão pouco tempo depois dos Jogos Para Olímpicos vieram trazer à tona a triste realidade, as UPPS vieram apenas para um controle visando os megaeventos, da mesma forma que a urbanização veio apenas no Centro da Cidade e em parte da Zona Oeste apenas para dar aos milhões de turistas que estão chegando à cidade maravilhosa uma impressão de paz e tranquilidade. Mas infelizmente (ou felizmente) algo sempre foge ao controle, a violência urbana, fenômeno de múltiplas causas explode em vários locais, de norte a sul, de leste a oeste e os recentes casos como o fechamento do comércio por ordens do narcotráfico e o assassinato de policiais pela bandidagem estão aí para comprovar a Crise da Segurança Pública não só na bela Cidade de São Sebastião, mas em todo O Estado do Rio de Janeiro.

2 de out de 2016

ROCINHA ESCOLHE SEUS REPRESENTANTES

NO PRIMEIRO TURNO ELEITORES DA ROCINHA ESTAVAM DIVIDIDOS
CAPITÃO AMÉRICA PEDIU VOTOS PARA MC DOCA QUE NÃO SE ELEGEU
Amanhã os  eleitores da Rocinha vão ajudar a decidir quem vai sentar na cadeira de prefeito da cidade. As ultimas pesquisas revelam um crescimento de Marcelo Freixo PSOL que diminuiu a diferença para Crivella que ainda está na frente após o debate na TV Globo.  O bispo Marcelo Crivella tem apoio da IURD na localidade. O templo da Igreja Universal está situado em uma das entradas da Rocinha, no Largo das Flores, mais conhecido como Largo da Macumba.
 A "Maior Favela da América do Sul" com uma população de mais de 120mil habitantes teve no primeiro turno um comparecimento expressivo, talvez por causa do tempo chuvoso que impediu a ida de seus moradores para o lazer favorito de domingo, a bela Praia de São Conrado. Com eleitores distribuídos principalmente entre o CIEP Airton Senna e a Quadra do GRES Acadêmicos da Rocinha a passarela ficou congestionada em certos horários, com cabos eleitorais tentando convencer eleitores indecisos em uma não muito discreta boca de urna. Centenas de distribuidores de santinhos em plena atividade ganhavam de R$50,00 a R$ 150,00 para conseguir votos para seus candidatos.  Santinhos espalhados pelo chão davam trabalho aos garis que tentavam limpar a propaganda eleitoral de ultima hora.
MC Preto photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Cinco candidatos moradores da localidade foram impedidos pelo Tribunal Eleitoral ou desistiram da disputa, e tiveram de apoiar candidatos tradicionais, Alguns como Antônio Xaolin do PCdoB que já teve expressiva votação em pleitos anteriores e Leonardo da UPMMR faziam intensa  panfletagem.  William de Oliveira tentava convencer eleitores para ser eleito para uma das 51 vagas na Câmara de Vereadores  a "Gaiola de Ouro" da Cinelândia.
William de Oliveira photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Adelson Gomes mais uma vez tentava conseguir votos dos conterrâneos. O candidato a prefeito com maior propaganda era o líder das pesquisas o senador Marcelo Crivella que tem como uma das bases na localidade o templo da Igreja Universal do Reino de Deus-IURD estrategicamente situado em uma das entradas da favela e ao lado da Estação São Conrado/Rocinha do Metro,  o Largo da Macumba, conhecido agora como Largo das Flores.
Os eleitores estão divididos, desta vez não teremos um candidato morador da Rocinha eleito pelos moradores como aconteceu há anos atrás com Claudinho da R1 que tinha sido presidente da associação de moradores UPMMR, que faleceu dois anos após sua posse como vereador e não conseguiu  completar seu mandato. Claudinho teve em torno de 9.800 só  na Rocinha e até os dias de hoje foi o único representante da localidade.
photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
No dia da eleição vale tudo para convencer eleitores e o toque mais ousado e curioso foi feito pelo MC Preto, que foi parceiro do MC Gorila e que fez panfletagem para o MC Doca vestido de Capitão América. Fez sucesso entre as crianças.  Os moradores da imensa favela, considerada bairro por decreto esperam que o prefeito do município e os vereadores eleitos cumpram suas promessas e procurem dar dignidade e respeitem não só os moradores da Rocinha, mas  toda população da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna