22 de out de 2016

O MARACANÃ NÃO É NOSSO E A NOVELA CONTINUA

   Domingo eu vou ao Maracanã,
  Vou torcer pro time que sou fã
  Vou levar foguetes e bandeira,
  Não vai ser de brincadeira
  Ele vai ser campeão
Neguinho da Beija Flor

UM FLA X FLU NA ARENA PANTANAL ENQUANTO O MARACANÃ FICA SEM FUTEBOL
CAVENDISH AMIGO DE CABRAL AFIRMOU QUE CABRAL PEDIA 5% DE PROPINA
PARA AS OBRAS DO MARACANÃ
O Maracanã que já foi a maior estádio do mundo com partidas com mais de 180 mil pessoas agora virou templo de shows de rock e música pop. Enquanto isso, o clássico que atraia multidões vai para qualquer lugar. Os torcedores que se explodam. 
Mais um episódio da 'Novela Maracanã". Na final da Copa Sul Americana mais de oito mil pessoas invadem o estádio sem pagar e depredam tudo que está na frente e dão um prejuízo milionário que os diretores do clube vão fazer de tudo para não pagar. O Ministério Público vai apurar de quem é a culpa, o clube põe a culpa no policiamento e a PM põe a culpa no clube. A Conmebol vai analisar e o Flamengo pode ser punido com perda de mando de campo, ou não.  Pode nada acontecer e pancadarias piores devem infernizar a vida de quem gosta de futebol.
O empresário Fernando Cavendish da Delta Engenharia que pertencia ao círculo fechado do ex-governador e ficou famoso no episódio dos guardanapos na cabeça, afirmou ao juiz Marcelo Bretas que na obra do Maracanã Cabral pediu 5% de propina e não era caixa dois e assim desmentiu Sergio Cabral preso em Benfica.
O Flamengo insiste em jogar no campinho chinfrim da Ilha do Urubu onde tem perdido uma série de jogos e deixando seus milhões de torcedores  do lado de fora curtindo o jogo no radinho de pilha. Em um jogo internacional pela Copa Sul Americana apenas cinco mil pagaram ingresso no "alçapão da Ilha".  O rubro negro que sonha ter estádio próprio conseguiu aval do prefeito Marcelo Crivella para construir o seu e também um shopping na Gávea o que pode dar um enorme impacto ambiental e piorar de vez o transito na Zona Sul Mas fica a pergunta com quatro grandes estádios teremos público suficiente com jogos medíocres e sem atrativo levaremos público para encher os estádios?. O presidente do Flamengo Eduardo Bandeira diz que não joga no Maracanã se a empresa francesa Lagardère passar a administrar o estádio. A Lagardère desistiu do Maraca e não confia no governador Pezão que não cumpre a palavra nem respeita contratos. A lona da cobertura do estádio está danificada pelos fogos durante a Olimpíada e foi condenada após uma inspeção criteriosa e põe em risco os torcedores .
O rubro-negro diz que prefere jogar no estadinho da Ilha do Governador que não cabe nem 20 mil pessoas. É o retrato de um futebol confuso, mal administrado que explora os verdadeiros torcedores que são sócios e abre as pernas para os marginais das "torcidas organizadas".
Na primeira fase da competição o Fluminense venceu Flamengo na decisão por penalties e o herói foi o goleiro Julio Cesar que defendeu duas penalidades e os vilões foram os zagueiros rubro negros que desperdiçaram duas penalidades. O jogo da final da Taça Guanabara foi no Estádio Nilton Santos devido à  novela Maracanã que parece nunca chegar ao seu final. A francesa Lagardère e a GL Eventos tentam administrar o estádio ainda esta semana mas o impasse continua e o estádio continua às baratas em total abandono. O Fla X Flu foi no Engenhão, mas com liminar que derrubou a tese de torcida única do Fluminense, devido á selvageria de marginais travestidos de torcedores do Flamengo que resultou no assassinato de um torcedor do Botafogo morto estupidamente com espeto de churrasco. O presidente do Botafogo, responsável pelo Engenhão é contrário à presença de torcida organizada do Flamengo devido ao bárbaro assassinato do torcedor alvinegro.
Há um mês atrás    Botafogo X Flamengo  disputado fora do Maracanã devido ao impasse sobre a reabertura do estádio que já foi o maior do mundo. O campeonato estadual já começou sem uma decisão sobre o Maraca. A triste situação de um estádio que já foi um atrativo para milhares de turistas é um reflexo do descaso e da irresponsabilidade dos governantes e também da empreiteira que ficou com a responsabilidade de zelar por um patrimônio de toda uma cidade e porque não, de uma nação. Símbolo de um futebol cinco vezes campeão o Maracanã está abandonado entregue aos ratos e baratas. Os clássicos do campeonato estadual vão começar e não teremos tão cedo o "templo do futebol" para a festa do futebol carioca. É o retrato sem retoques de um estado totalmente sem governo, totalmente falido.
 No domingo 23 de outubro de 2016, depois de um longo e tenebroso inverno, os cariocas  puderam gritar "O Maraca é Nosso". Após muita negociação um estádio que já teve mais de 180 mil torcedores em festa, mas que o "Padrão FIFA" encolheu para pouco mais de 70 mil vai de novo trazer alegria às tardes cariocas de domingo. Um Flamengo e Corinthians pra ninguém botar defeito. O Rubro Negro ainda sonhava com a Taça e o Corinthians sob nova direção, animado com a fase de recuperação e sonhando com a Libertadores. Ninguém poderia prever um resultado, que acabou com um empate de 2X2, que deixou a imensa torcida ver o sonho da taça cada vez mais longe.
Photo Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Em um clássico desses não existia favorito, mas o Flamengo animado depois de ter recuperado os três pontos da vitória sobre o Fluminense, com uma torcida que vai encher a Arena, como ficou conhecido o estádio depois de ter sido adaptado às regras da FIFA para a Copa 2014 vai contar com mais de 60 mil dando o grito de guerra e animando seus jogadores. Depois deste clássico nacional a solução é torcer para esta situação de irresponsabilidade ser logo resolvida para poder  festejar e poder  cantar nos grandes jogos com o sucesso de Neguinho da Beija Flor "Domingo eu Vou ao Maracanã".
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna