26 de nov de 2016

FIDEL CASTRO RUZ FALECEU AOS 90 ANOS

PARTIU FIDEL O LIDER DA REVOLUÇÃO CUBANA DEIXOU COMO LEGADO UM MODELO EM SAÚDE E EDUCAÇÃO
FIDEL FOI SEPULTADO EM SANTIAGO DE CUBA
MILHARES DE PESSOAS NA PRAÇA DA REVOLUÇÃO  CHORAM A MORTE DE SEU COMANDANTE SUPREMO
                            A história me absolverá
                                               Fidel Castro

O povo cubano reverencia seu comandante supremo que deu a todo o mundo uma lição de como transformar uma pequena ilha em um país sem taxas de analfabetismo e que conseguiu eliminar a mortalidade infantil. Fidel Alejandro Castro Ruz foi sepultado na manhã de domingo dia 04 de dezembro no Cemitério de Santa Efigênia próximo ao túmulo de José Marti.  Fidel Castro faleceu na sexta feira 25 de novembro às 23 horas em sua amada Cuba aos noventa anos. Seu corpo foi cremado e a Praça da Revolução se preparou para homenagear seu comandante.  O comandante deixou como legado um modelo a ser seguido em saúde e educação, conseguiu erradicar o analfabetismo e reduziu os índices de mortalidade infantil a zero. Fidel conseguiu transformar Cuba, de um centro de prostitutas e jogatina conhecida como "Bordel dos Estados Unidos" explorado pela Máfia em uma nação soberana e solidária.
   O regime socialista de Fidel deu muita ênfase ao esporte como instrumento de cidadania, Cuba sempre se destacou em competições internacionais e chegou a um honroso quinto lugar nos Jogos Olímpicos de Barcelona.  Fidel nasceu dia 13 de agosto de 1957 foi um grande estadista e  o grande líder da Revolução Cubana como primeiro ministro de 1959 a 1976 e como presidente de 1976 a 2008 sendo sucedido por seu irmão Raul Castro, que tem como principais colaboradores diretos Miguel Canel. seu sucessor direto e Ramiro Valdez  que é do Politburo e camarada fiel desde Sierra Maestra.
Fidel Castro 1990 foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
Vai ser decretado luto oficial por nove dias e todos os eventos ficarão suspensos. A sua morte comunicada por seu irmão Raul Castro, seu sucessor aconteceu em um mesmo dia 25 de novembro de 1957 em que um pequeno barco o Granma saiu do México para dar inicio a um dos mais importantes acontecimentos políticos do século XX, a Revolução Cubana. Assisti a um de seus discursos em Brasília, na posse do ex-presidente Fernando Collor em 1990, quando estava a serviço do Jornal O Dia. Seu velório vai ser o encontro de vários chefes de estado de todo o mundo que estarão em Cuba para reverenciar Fidel Castro.

25 de nov de 2016

OBRAS DO PAC E DO METRO FORAM SUPERFATURADAS

A ROUBALHEIRA NÃO TEM FIM: MAIS UM ASSALTO DA QUADRILHA CHEFIADA POR SERGIO CABRAL E A ODEBRECHT ESTAVA EM TODAS AS PRINCIPAIS OBRAS
LINHA QUATRO DO METRO CAUSOU PREJUÍZO DE MAIS DE R$2.4 BILHÕES
 R$ 210 MILHÕES FORAM DESVIADOS EM OBRAS DO PAC, PEZÃO FOI NOTIFICADO
SERGIO CABRAL ESTÁ TRANCAFIADO NO PRESÍDIO EM BENFICA ESPERANDO QUE OS AMIGOS VENHAM FAZER COMPANHIA
O apetite, a sanha de roubar, a roubalheira desenfreada a cada dia traz mais uma surpresa desagradável. Mais um desvio de verbas em obras de vital importância para milhares de moradores de três mega- favelas. O Tribunal de Contas do Estado-TCE verificou que houve enorme superfaturamento em obras do PAC na Rocinha, em Manguinhos e no Conjunto de Morros do Alemão. Os preços foram superfaturados e mesmo assim as obras não foram concluídas, muitas não saíram do papel. O rombo foi de R$ 219 milhões. O governador Luiz Fernando Pezão, homem de inteira confiança de Cabral e seu herdeiro político foi notificado, além do engenheiro da EMOP Ícaro Moreno e de várias empreiteiras que participaram da farra com nosso dinheiro.  A Odebrecht estava presente em contratos em quase todas as principais obras e multiplicou ao infinito sua margem de lucro, a ponto de atuar em mais de vinte e cinco países.
O ex-governador Sergio Cabral está trancafiado no presidio de segurança no Complexo de Gericinó (Bangu) sob acusação de vários crimes, entre outros corrupção e lavagem de dinheiro que lesaram o erário público e levaram o Rio de Janeiro à beira da falência. As obras da Linha 4 do Metro que liga Ipanema à Barra da Tijuca causaram enorme prejuízo em mais de R$ 2,4 bilhões aos cofres combalidos do Governo do Estado do Rio de Janeiro. O Tribunal de Contas do Estado-TCE verificou que houve superfaturamento na obra em relatório apresentado pelo conselheiro Gomes Graciosa que constatou que algumas obras não foram executadas. A Linha 4 foi uma das obras mais caras executadas em função dos Jogos Olímpicos 2016 com financiamento através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico-BNDES.
Estação da Linha 4 Foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Os consórcios Rio Barra, Linha 4 Sul e Construtor Rio Barra são os responsáveis pela obra de grande beleza que foi inaugurada com muita festa e algum atraso, mas que melhorou o acesso à Barra da Tijuca em sua estação final Jardim Oceânico. Liana Barros Cardoso, promotora da 4a Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital investiga a execução das demoradas obras de ligação entre os bairros de Ipanema e Barra da Tijuca. Serão chamados para apresentar esclarecimentos o ex-governador Sergio Cabral, o governador Luiz Fernando Pezão e o deputado Carlos Roberto Osório, na época Secretário de Obras e que foi candidato à Prefeitura da Cidade pelo DEM. Sergio Cabral já está trancafiado em um presídio reformado no Bairro de Benfica transferido de Bangu8 à espera que os irmãos camaradas venham também para o presídio.

23 de nov de 2016

MODESTO DA SILVEIRA. UM BRASILEIRO

ANTÔNIO MODESTO DA SILVEIRA DEFENSOR DOS INJUSTIÇADOS
                     Hitler morreria de inveja ao conhecer tudo que se fazia no Brasil e na Argentina.
                     As lágrimas correm até hoje.
                                         Modesto da Silveira em entrevista ao Globo
Antônio Modesto da Silveira partiu aos 89 anos, sempre em defesa dos injustiçados. Nasceu em Uberaba, Minas Gerais em 1927, deixou três filhas, Elisabeth, Margareth e Lourdes e quatro netos. Foi um homem pleno, um advogado brilhante sempre defendendo aqueles que foram punidos por expressarem suas ideias, os sequestrados e desaparecidos políticos durante os anos de chumbo.
 Conheci Modesto nos anos setenta, quando em companhia de Barbosa Lima Sobrinho indicou um colega seu para nos defender, no processo movido contra o Jornal O Repórter, um marco na Imprensa Alternativa.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 
Reencontrei Modesto já nos anos noventa em um Congresso de Anistia em Brasília. A partir daí foram vários encontros que solidificaram nossa amizade, anos depois na Associação Brasileira de Imprensa, na gestão do saudoso Mauricio Azedo.   Lembro com saudade da comemoração de seus bem vividos oitenta anos no Salão Nobre da  Ordem dos Advogados do Brasil-OAB. Nesta noite encontrei vários amigos comuns. Foi deputado federal mais votado pelo antigo Movimento Democrático Brasileiro-MDB, um dos defensores da Lei da Anistia, de 1979 e foi um das figuras mais influentes quando da legalização do Partido Comunista Brasileiro-PCB.
Modesto com Juiz Almada mostra a Casa da Morte foto Alcyr Cavalcanti rights reserved
 
Recentemente fez parte da Comissão de Ética da Presidência da República, no mandato de Dilma Roussef.

19 de nov de 2016

PACOTE DE MALDADES:PRISÃO DE CABRAL MUDOU RELAÇÃO DE FORÇAS

DECISÃO DO PACOTE FICOU PARA 2017
 PRISÃO DE EX-GOVERNADOR DEIXA CÚPULA DO PMDB PERPLEXA
DEBATES ACALORADOS CONTRA E A FAVOR DO PACOTÃO
                   Quem foi que descobriu o Brasil ?
                    Foi seu Cabral, foi seu Cabral
                    Foi num dia 21 de abril,
                   Dois meses depois do Carnaval
                                 Marchinha de Carnaval

Com uma pausa para meditação (e muito acordo) no final de semana, o pacote de maldades ficou para ser resolvido para depois das festas de Natal e Ano Novo, com uma diferença, enquanto os nobres deputados vão encher a pança e bebericar champanhe, os servidores vão catar os centavos para comprar alguma coisa. A pressão de manifestantes que protestaram dia e noite contra o pacotão e a prisão do ex-governador mudaram o quadro que era amplamente favorável às mudanças e totalmente contra não só ao funcionalismo, mas a toda população do estado.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 Debates acalorados de grupos que estão sendo prejudicados pela proposta contra  parlamentares do Grupo Picciani que querem aprovar as medidas. A prisão do ex-governador Sergio Cabral e de membros de seu governo, todos ligados ao PMDB, partido que dava as cartas no estado mudou a correlação de forças na Assembleia Legislativa-ALERJ. O partido controlava tudo no estado, pois tem a maioria das prefeituras e governava o principal município, o Rio de Janeiro. Com as sucessivas colaborações, também conhecidas como delações premiadas a maior parte dos parlamentares não sabe o que fazer, principalmente em relação ao pacotão, que esperavam ser empurrado pela goela a dentro dos milhares de servidores, ativos e inativos.
ALERJ foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Os aposentados seriam os principais atingidos pelas medidas inconstitucionais. O procurador-geral da Justiça Marfan Vieira reuniu-se com deputados e avisou sobre as irregularidades das medidas que estão propondo. Com seu principal articulador preso no presídio de segurança máxima, Bangu8, o grupo está meio sem rumo, principalmente o atual governador Luiz Fernando Pezão que não sabe o que vai acontecer. O então vice-governador de Cabral era responsável pelas obras, principalmente as do Programa de Aceleração do Crescimento-PAC nas Favelas da Rocinha e Manguinhos que estão sob suspeita de superfaturamento.  O final de semana vai dar uma pequena trégua, nas manifestações que resultaram em grande pancadaria, mas segunda feira vem aí e novos protestos vão acontecer, apesar das grades e do enorme aparato bélico que cerca o Palácio Tiradentes.
 

16 de nov de 2016

PROTESTOS CONTRA O PACOTE DE MALDADES DO PEZÃO

SALÁRIO DE SERVIDORES VAI DIMINUIR FOI APROVADO PACOTE
FORTE CERCO POLICIAL ISOLA ALERJ DE MANIFESTANTES E PANCADARIA COMEÇA
12 ANOS DE GOVERNOS DO PMDB LEVARAM ESTADO À FALÊNCIA ABSOLUTA
EM VEZ DE PAGAR SALÁRIOS MAIS REPRESSÃO
O Pacotão de Maldades "Made in Pezão" foi aprovado graças ao "arco de alianças" movido à benesses. Um chute no fígado dos funcionários foi o desconto que subiu (por enquanto) de 11% para 14% o que na prática reduz salários que não tem sido pagos.
Há meses atrás um incêndio na sala de imprensa da ALERJ provocou adiamento de trabalhos na votação do pacotão que seria realizado hoje e foi adiado para amanhã terça feira. O Governo Estadual usou mais uma vez "a máquina", ou seja acordos feitos às escondidas para evitar a derrota no voto simples do aumento do ICMS, que como resultado vai fazer disparar a inflação. Em mais um acordão, em que a maioria fica de fora, conseguiram aprovação de uma parte do pacote de maldades em mais um casuísmo em que somente os "líderes" votaram. A ALERJ continua sitiada com forte repressão contra manifestantes. Aparato policial jamais visto para impedir novas manifestações como as que ocorreram há uma semana  onde  policiais do Choque abandonaram seus postos revoltados e apoiaram a manifestação participando do ato. Foram presos. No dia em que o pacotão de maldades estava sendo apresentado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro-ALERJ o governador Luiz Fernando Pezão pediu reforço de segurança ao Governo Federal que prontamente enviou a Força Nacional para reprimir manifestações de violência extremada. Manifestantes insatisfeitos tentaram invadir ALERJ derrubaram as grades e foram reprimidos com bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral causando inúmeros feridos. Duzentos homens da Força chegaram na noite de terça feira e estão de prontidão em um quartel no Jardim Sulacap. Doze anos de desmandos de políticos filiados ao PMDB levaram um estado pujantes a uma condição de penúria. Mesmo assim o partido tem grande maioria na ALERJ e vai pressionar para aprovar as medidas.  O pacote extremamente antipopular tem em sua maioria medidas arbitrárias e inconstitucionais segundo renomados juristas, que vão tentar impedir o Pacotão do Pezão.
FOTO Alcyr Cavalcanti allrights reserved
O forte aparato policial começou a ser montado desde ontem no feriado nacional temendo novas invasões como as que aconteceram semana passada, onde manifestantes desesperados com os desmandos da administração estadual  arrancaram tapumes e na confusão alguns móveis foram danificados. Servidores à mingua com salários irrisórios e mesmo assim parcelados e atrasados montaram uma barraca para receber donativos e alimentos não perecíveis, além de remédios.
foto Alcyr Cavalcanti all rights reserved
 A sessão que vai julgar o pacote de emergência vai começar às 10h desta terça feira após domingo onde predominou a greve da PM. Mesmo assim  quantias vultuosas foram gastas em coquetéis e outras benesses enquanto a massa passa fome, hospitais não atendem e são responsáveis pela morte de milhares de pacientes em estado terminal. O povo pergunta: "Sergio Cabral onde está nosso dinheiro?".
 

5 de nov de 2016

PACOTÃO DO PEZÃO PARA TENTAR COBRIR O ROMBO

PEZÃO DIZ NÃO TER DINHEIRO NÃO PAGA AOS SERVIDORES MAS CONTRATA JATINHOS PARA PASSEAR
PACOTÃO FOI APROVADO  SEM TER SIDO  DISCUTIDO COM A SOCIEDADE
PEZÃO PARCELOU SALÁRIOS  SÓ PAGOU NOVEMBRO A PARTIR DE 5 DE JANEIRO E LEVOU TODOS AO DESESPERO
PROCURADOR-GERAL VAI À JUSTIÇA CONTRA PACOTÃO DE MALDADES
Em mais um golpe e uma afronta a uma população completamente abandonada pelo poder público o governador clone do Cabral contrata uma firma de jatinhos para poder voar em total liberdade. Na situação de falência em que vive o estado é uma atitude irresponsável e sem justificativa.
 O presidente da ALERJ Jorge Picciani está imensamente feliz. O pacotão começou a ser aprovado por 41 votos contra 28 porque Picciani tem a "máquina" na mão, ou seja conseguiu convencer  muitos deputados a aprovarem o pacote de maldades, embora saibam que vai prejudicar a população. Farta distribuição de benesses está sendo feita, é o "arco de alianças" tupiniquim. A privatização da CEDAE é uma exigência do governo federal como um acordo para emprestar dinheiro e salvar o medíocre governo Pezão, um preposto de Sergio Cabral, trancafiado como um mafioso tupiniquim em Bangu8.
Os servidores não tem dinheiro para nada e mesmo assim mancomunado com os "donos da economia" o governador Pezão para tentar encobrir o rombo, feito pelo seu próprio grupo que domina o RJ há muitos anos pretende reduzir salário dos servidores e não contente com a proeza aumentar o desconto mensal de 11% para 22%, na prática um confisco salarial. Servidores estaduais que não tem dinheiro nem para comprar remédios protestaram em frente à casa do poste do Cabral Luiz Fernando Pezão no Leblon que foi acordado com os gritos de desespero dos manifestantes. O "Governador" Luiz Fernando Pezão inventou um crediário para os servidores e vai parcelar salário  em várias prestações. Alguns vão receber apenas R$200,00 o que de fato é um  absurdo. Com um Natal sem nenhum benefício o grupelho que governa o estado só vai pagar novembro a partir de 5 de janeiro, em várias parcelas, muitos receberam a ultima parcela no final de janeiro. Estamos em fevereiro e o caos continua e o pau mandado do Cabral também.
Forte esquema policial inclusive com auxílio de cães e de uma grade de proteção foi feito para evitar manifestações de protesto. Aparato policial reprimiu com extrema violência na semana passada manifestação, de início pacífica, mas com recusa de serem recebidos pela presidência da ALERJ protestaram e foram atacados pela policia militar com bombas de efeito moral e com auxílio de um blindado (caveirão) para reprimir com violência extremada funcionários que não recebem salário. Manifestantes desesperados com o Pacotão do Pezão que PMDB e aliados tentam empurrar pela goela a dentro o pacote de maldades que vai afetar toda a população, em especial o funcionalismo estadual terça feira invadiram a ALERJ depois de horas protestando sem terem sido atendidos. O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio-ALERJ Jorge Picciani que é do mesmo grupo de Cabral e Pezão, que manda no estado há mais de uma década, diz que vai aprovar o pacote de medidas, porque é a única saída, mas muitos juristas não pensam assim.  O procurador-geral de Justiça Marfan Vieira classificou de confisco as medidas absurdas adotadas por pessoas que foram culpadas pela crise e vai ao Supremo Tribunal Federal-STF para barrar o pacote. Protestos populares na escadaria da ALERJ vão tentar impedir e cobrar dos deputados que barrem as medidas, afinal a eleição de 2018 já começou, pelo menos para eles, em suas infindáveis reuniões, da qual o povo fica de fora, com cara de idiota. O governador do Estado do Rio Luiz Fernando Pezão-PMDB reassumiu após meses afastado e voltou apresentando um pacotão de maldades para tentar cobrir o enorme rombo causado por ele mesmo, seu padrinho político Sergio Cabral-PMDB e o grupo que há mais de doze anos dilapida as riquezas de nosso estado. Pezão quando era secretário todo poderoso de Cabral, com pleno poderes e que manejava a grana que jorrava aos borbotões graças à maravilha da natureza obtida da exploração do petróleo em águas profundas.
Photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved
Mas a fonte secou, graças à imprevidência, à irresponsabilidade de um grupelho, a maioria do PMDB, que afundou o Rio de Janeiro. Agora a solução vai pelo caminho, para eles mais fácil, mas que vai prejudicar milhões e não vai resolver a imensa dívida deixada única e exclusivamente pelo grupelho, que graças a uma propaganda enganosa conseguiu ludibriar a imensa população e conseguiu enorme popularidade.
Photo by Alcyr Cavalcanti all rights reserved
A máquina poderosa inflada às custas do meu, do nosso, do vosso dinheiro conseguiu que a dupla Cabral/Pezão tivesse mais de 80% de aceitação, mas os protestos feitos há três anos pouco surtiram efeito. As consequências funestas viriam depois, estão aí e vão nos atormentar durante anos. Aumento de impostos, passagens, bilhete único que vai ter aumento absurdo, aumento do desconto previdenciário que passaria de 11% para 14% além de outro aumento extra de 16%, ou seja aumento em cima de aumento, uma total insanidade. O presidente do Tribunal de Contas Estadual Jonas Lopes disse ser absurda e inconstitucional a cobrança de uma alíquota de 30%, e que deverão surgir inúmeras medidas judiciais. Milhares de servidores protestaram em frente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro-ALERJ e vão pressionar deputados para barrar o projeto, no fundo um massacre, mas temem um novo acordo a ser feito entre goles de whisky sob a regência de Jorge Picciani, que detém a maioria aprove o pacote de maldades.  A proposta feita pela dupla Pezão/Dornelles é impopular, contraria regras estabelecidas, vai prejudicar milhões e não vai resolver o enorme rombo da previdência do Estado do Rio de Janeiro.
 

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna