29 de mai de 2017

TEMER ACOMPANHA CRISE INSTITUCIONAL

TEMER COMPARA POLÍTICOS COMO ELE A MÉDICOS QUE SALVAM VIDAS
TEMER PARA TER APOIO MODIFICA REGRAS DO QUE É TRABALHO ESCRAVO
JOESLEY DA JBS ACUSA TEMER DE "LADRÃO GERAL DA REPÚBLICA" E DOLEIRO LUCIO FUNARO VAI DELATAR GRUPO PALACIANO POR CORRUPÇÃO
EM MEIO À CRISE DEPUTADOS ALIADOS QUEREM MAIS DINHEIRO E CARGOS
Em mais um pronunciamento infeliz Temer compara políticos a médicos. Em seu entendimento políticos assim como médicos salvariam vidas, mas em realidade médicos lutam para salvar vidas seguem o mandamento de Hipócrates, mas os políticos aqui em Pindorama são Genocidas matam a três por dois, roubando verbas de hospitais, asilos, remédios, e exterminam milhões ano após ano e depois vão comemorar e comprar mais e mais votos.
  O Governo Temer faz mais uma medida contra toda uma população para satisfazer 220 deputados ruralistas e ter apoio para garantir sua presença no Planalto e muda os critérios de trabalho escravo. A medida causou muita polêmica e protestos em Brasília, juristas e principalmente o Ministério Público vão encaminhar relatório para anular a medida que vai contra todos os critérios do que é trabalho escravo.
Doleiro Funaro acusa Temer de receber dinheiro de propina e que presidente lavava dinheiro oriundo de corrupção. Eliseu Padilha era intermediário da dinheirama. O procurador Rodrigo Janot em seu discurso de despedida disse ter enfrentado um sistema altamente corrupto e que usava ministérios e órgãos públicos em proveito próprio. Temer está reunido com seus aliados, quase todos citados por formar "uma organização criminosa" que dependia sempre de Temer e Eduardo Cunha.
O Supremo há dias atrás esteve reunido para julgar pedido de advogados de Michel Temer que pediram afastamento do procurador Rodrigo Janot que segundo a defesa estaria agindo com imparcialidade e com único intuito de humilha-lo mas negou o pedido  e não viu nenhum motivo da alegação. O Doleiro Lucio Funaro disse que Temer era o elo principal no esquema de corrupção do grupo palaciano e que ele dava uma aparência de legalidade quando de fato eram ações criminais. O presidente Temer esteve na China para oferecer todas nossas riquezas a qualquer preço, mas acompanha atentamente o desenrolar dos acontecimentos em Brasília. As declarações de Joesley da JBS/Friboi repercutiram de modo negativo no grupo que está no país asiático  fez o presidente quase antecipar a volta para segunda feira, mas desistiu e manteve a agenda. Quando voltar vai ter reuniões para resolver a sanha de "aliados" de ocasião que querem dinheiro, cargos enfim o prometido por Temer para que votarem tudo que for acertado.
Joesley acusou Temer de "Ladrão Geral da República" e incapaz de se defender dos crimes de que foi acusado. O doleiro Lucio Funaro que fazia a lavagem do dinheiro da corrupção fez o acordo de delação premiada que vai envolver o grupo palaciano e pode chegar ao presidente, que esteve reunido com aliados, principalmente com Gilmar Mendes e Aécio Neves, que por enquanto escapou da prisão. Estão na tentativa de criar uma barreira contra as acusações do procurador Rodrigo Janot que vai sair da PGR daqui a uns dias. Um novo problema para Temer enfrentar é o indiciamento de um de seus mais fortes aliados. O senador Romero Jucá envolvido em mais de dez processos enfim vai ser julgado. E Gilmar pode ser afastado do caso do empresário Jacob Barata que esteve preso na Lava Jato.
 Em um evento no Encontro Nacional de Comércio Exterior no Rio de Janeiro Temer pediu aplausos ao afirmar que não vai aumentar alíquota de Imposto de Renda e que conseguiu botar o país no caminho certo, mas teve como resposta vaias e faixas e gritos de "Fora Temer". Militares protegiam o presidente que temia ser hostilizado e isolaram várias ruas próximas à Praça da Bandeira onde foi realizado o Encontro.
 O presidente depois da votação que barrou o processo de cassação vai agora para cooptar mais deputados para impor a Reforma da Previdência e massacrar de vez os milhões de trabalhadores. Mas em uma verdadeira e profunda Reforma Política nem pensar. Os seus aliados iriam quase todos para o xilindró por desonestidade entre outros deslizes.
Em uma cerimonia no Planalto o presidente ao final de seu discurso esperava aplausos, mas a plateia de convidados continuou em silêncio. Para quebrar o constrangimento Temer disse que na próxima vez Moreira Franco, um de seus fiéis teria de trazer uma claque para ouvir muitos aplausos.
Michel   Temer continua sua longa, mas firme caminhada para garimpar votos e mais votos a troco de raspar os cofres e dilapidar as nossas quase combalidas reservas. Somente no mês de julho liberou mais de R$ 2 bilhões e meio em uma farta distribuição para aprovação de emendas para deputados que fixassem ao seu lado. O deputado Pedro Paulo do PMDB-RJ foi um dos contemplados e vai receber R$ 10 milhões.
Temer trocou membros da Comissão que julgaria o relatório feito pelo deputado federal Sergio Zveiter de seu partido o PMDB, mas que incriminaria o presidente. Ao saber das dificuldades   antecipou sua volta da Alemanha para o Encontro do G20 em Hamburgo chegou em Brasília e procurou se informar sobre o que de fato está acontecendo. A semana está sendo muito tensa devido à retirada de vários deputados da base aliada o que tem deixado o presidente sem dormir, com reuniões e telefonemas até durante a madrugada. Temer tem cooptado deputados e senadores prometendo cargos e benesses para ter votos para barrar cassação e já conseguiu mudar 10 nomes, o que para alguns juristas é imoral e atitude não republicana. O problema é que o país tem tido verbas cortadas em setores essenciais mas o presidente distribui dinheiro a torto e a direito. O retorno antecipado causou surpresa a todos pois estava marcado o retorno para domingo. Ao ser perguntado pelos jornalistas como estava a crise da economia no Brasil Temer disse estar muito tranquilo "tranquilíssimo", que não existe nenhuma crise e o Brasil está retomando o crescimento. Mas como não poderia passar sem dizer nenhuma bobagem, em uma ato falho declarou uma única verdade que contradiz tudo que sua retórica vazia tentava afirmar quando disse "O país está retomando o desemprego". de fato já são quase 20 milhões de desempregados e muitos sub empregados.
Michel Temer viajou para Alemanha mas deixou seu fiel amigo e camarada senador Eunício de Oliveira como seu substituto na presidência. O atual presidente do Senado e Presidente da República por alguns dias  foi citado na Operação Lava-Jato como corrupto. O diretor da Odebrecht Cláudio Melo Filho afirmou em seu depoimento que Eunício era conhecido nos corredores da empresa como "Índio" e vinha sempre apanhar dinheiro para favorecer a Odebrecht com medidas provisórias e teria recebido de propina entre 2013 e 2014 mais de R$ 2 milhões de suborno.  Geddel Vieira Lima que sempre ocupou cargos importantes desde o governo do ex-presidente  Lula e atualmente era homem de confiança de Temer foi preso e transferido para o Presídio da Papuda sob a acusação de ser um "criminoso em série", ou seja sempre praticava crimes contra o patrimônio público.
O Procurador-Geral Rodrigo Janot em seminário da ABRAJI reafirmou que existem sim provas de corrupção no Planalto, que envolvem o presidente. O Ministro Celso de Mello no STF afirmou que "Cidadãos corruptos tem medo da autonomia do Ministério Público". Terça feira á noite o presidente foi até a casa do ministro do STF Gilmar Mendes para um encontro que não estava previsto na agenda oficial. Moreira Franco, seu fiel aliado, quando soube se apresentou rapidamente para dar sugestões. Temer indicou para substituir Rodrigo Janot na PGR a Procuradora Raquel Dodge que faz oposição a Janot e deve ser voto favorável ao presidente. O Procurador Geral Rodrigo Janot  apresentou denúncia contra Michel Temer por corrupção, segundo a denúncia Rodrigo Loures, que foi pego em flagrante com mala de meio milhão de reais, era o "Longa Manus" de Temer, ou seja o apanhador do dinheiro proveniente de suborno, o "homem da mala" de Temer. Para Janot é incompatível atitudes assim principalmente por ser o supremo mandatário da nação. Mas Temer se diz inocente e vítima de um complô, a mala de dinheiro não era para ele, nem receber um condenado na calada da noite não diz nada, argumenta.
As gafes da "Era Temer" continuam.  Ao discursar em um evento em Brasília para dar a impressão que não existe nenhuma crise Temer disse que fechou negócios com "empresários soviéticos", no entanto a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas acabou há muitos anos. Lá em Moscou não entoam mais a Internacional, nem o símbolo da Foice e do Martelo. Foi mais uma gafe lamentável.
Delegados Federais dizem que não vão aceitar a saída do delegado Leandro Aiello conforme pensaria o Ministro Torquato Jardim. A visita de Temer a Noruega foi marcada por uma sequência de gafes e também de protestos de ambientalistas pelo descaso em relação ao Meio Ambiente. O presidente causou constrangimento em Oslo ao falar de Parlamento Brasileiro, ao invés de Norueguês e para completar saudou a Suécia quando quis dizer Noruega.
A visita do presidente Michel Temer a Moscou foi para assuntos comerciais, em especial para comercialização da carne de nossos rebanhos, mas sempre tem se mantido atento à grave crise que atinge o país. Da Rússia após acordos comerciais o presidente desembarcou na Noruega, em Oslo sob críticas muito fortes à questão do Meio Ambiente, em especial em relação ao desmatamento da Floresta Amazônica. O ministro norueguês além de fortes críticas cortou verbas que deveria ter sido usadas para evitar o desmatamento, o que causou enorme mal estar para a representação brasileira. A Revista Época chamou Temer de "Chefe da Quadrilha Mais Perigosa do Brasil", em um país que vive ameaçado por vários grupos criminais.
 Temer fez um discurso nas redes sociais com receio de uma repercussão negativa de uma transmissão em rede televisiva. O resultado do julgamento no TSE já era previsto, Gilmar Mendes deu o voto de desempate que resultou em 4X3 a favor da manutenção da Chapa. Durante o julgamento aconteceram várias situações curiosas como a do Ministro Napoleão Maia Filho que disse que a solução seria "cortar a cabeça" dos mentirosos, especialmente contra ele, invocando procedimento usado pelo Estado Islâmico. O julgamento da Chapa Dilma/Temer foi marcada pelos embates entre o relator Herman Benjamin e o Ministro Gilmar Mendes que vivem a medir forças em um duelo verbal. Desde o início todos sabiam que haveria um empate entre os pró e contra a cassação da Chapa, mas que seria decidida a favor de Temer com o voto de desempate de Gilmar Mendes, com intervenções francamente favoráveis a Temer.
 Para o Procurador-Geral Rodrigo Janot Rodrigo Loures, homem de inteira confiança de Temer era um mero intermediário um executor de crimes planejados por outra pessoa, ou seja um longa manus. A prisão do ex-deputado Rodrigo Loures pela Policia Federal hoje sábado no início da manhã deixou Temer e o que restou de seu grupo sem saber o que fazer. Orientado por advogados pegou jatinho e foi para São Paulo pedir auxílio para seus advogados e principalmente ao governador Alckmin para ter apoio do PSDB. As artimanhas que o presidente Michel Temer tem feito em uma atitude desesperada e provavelmente sob a orientação de um dos ministros mais suspeitos de sua equipe de notáveis, Moreira Franco, não tem surtido o efeito desejado. O governo está nas últimas e o barco está fazendo água. Em mais uma "estratégia", que os colunistas amestrados enchem a boca quando pronunciam a palavra, o novo ministro disse que Temer não vai ser cassado, por total ausência de provas,  mas a maioria não pensa assim e nem o próprio suspeito. A posse de um de seus fieis, o novo ministro Torquato Jardim foi fria e de pouca receptividade, um vazio assustador. Para o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio que resolveu em ato de dignidade não fazer parte de um jogo escuso ( e perdido) a estratégia de Temer não tem dado certo, visto que ele é orientado por "trôpegos estrategistas", em uma clara referência ao tiro que saiu pela culatra.
  O Ministro Edson Fachin declarou que o presidente Michel Temer vai ter de depor no Supremo Tribunal Federal na Operação Lava-Jato no qual vai ser investigado  por corrupção, obstrução da justiça e formação de quadrilha e vai ter 24h de prazo quando receber a intimação. O deputado Osmar Serraglio não aceitou a sua indicação para o Ministério da Transparência na troca-troca ordenada por Temer e recusou em discurso frustrando as expectativas do presidente que está visivelmente abatido com mais um que abandona o barco, que já começa a fazer água. Com isso Rodrigo Loures vai ser processado e provavelmente entregar de bandeja tudo o que sabe sobre as manobras palacianas. Ontem   funcionários do Ministério da Transparência protestaram e ameaçam fazer greve e pedir afastamento se o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio assumir o Ministério, que é mais uma tentativa de Temer para barrar investigações que poderiam comprometê-lo.  Michel Temer esteve reunido à tarde com o novo Ministro da Justiça Torquato Jardim, recém nomeado por ele. Em uma nova manobra o presidente Temer fez uma inusitada troca de ministros, o da Justiça vai para o Ministério da Transparência e o da Transparência vai para a Justiça. O ministro Osmar Serraglio que não conseguiu impedir manifestações que pedem o afastamento de Temer e as investigações da Policia Federal, principalmente depois da prisão de mais um assessor, Tadeu Filipelli, além de dois ex-governadores rapidamente foi afastado do Ministério da Justiça . A nomeação de Torquato Jardim para um importante ministério como o da Justiça, que tem a Policia Federal a ele subordinada preocupa a Associação de Delegados Federais que acreditam que as investigações referentes à corrupção na Operação Lava-Jato possam ser prejudicadas, visto que o novo ministro Torquato Jardim tem restrições à velocidade das apurações sobre corrupção feitas pelos agentes federais. Na nota emitida pelos delegados dizem que Torquato Jardim não tem nenhuma proposta para a pasta.
Brasília tem dias sombrios
 
Para muitos críticos foi um malabarismo para tentar livrar o deputado suplente Rodrigo Loures da prisão devido à perda da imunidade parlamentar (foro privilegiado) que já teria combinado uma delação premiada que poderia envolver não só Michel Temer, mas inúmeros aliados. Loures é suplente e entrou na vaga de Osmar Serraglio do PMDB do Paraná que só não voltou para a Câmara dos Deputados porque iria falar tudo que sabe, ele é um dos homens de inteira confiança do Planalto.
Temer e seu grupo correm contra o tempo, estão reunidos dia e noite, principalmente na calada da noite, da mesma forma do encontro furtivo entre o dono da Friboi Joesley Batista na conversa reservada do dono da carne e o presidente em sua residência, o que revela uma intimidade mais do que suspeita entre um criminoso que fez uma delação premiada e o supremo mandatário da Nação. Mas Temer tem trocado ideias com o Ministro Gilmar Mendes através de mensageiros fiéis para tentar escapar da "guilhotina", que para alguns cientistas políticos vai chegar a seu pescoço. .  
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna