16 de jun de 2017

ESCOLAS DE SAMBA VÃO PROCURAR PATROCÍNIO

ESCOLAS DE SAMBA VÃO PEDIR DINHEIRO AO PRESIDENTE TEMER
DEFINIDA A ORDEM DOS DESFILES NO GRUPO ESPECIAL
 PREFEITURA PRETENDE LANÇAR COTAS PARA O DESFILE DE CARNAVAL ESCOLAS  DO GRUPO DE ACESSO NÃO TERÃO DINHEIRO PARA DESFILAR

            "Crivella tem que entender que o Carnaval é a alegria do povo"
                                                             Monarco da E.S Portela  

Diretores das escolas de samba que não conseguiram resolver o impasse com o prefeito Crivella foram até Brasília na posse do novo Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão e aproveitaram para pedir alguns milhões ao presidente Temer. Foi definida a ordem dos desfiles das 13 escolas do Grupo Especial. No domingo a Império Serrano é a primeira a desfilar,  na segunda a Unidos da Tijuca vai abrir a grande festa e a Beija Flor encerra o desfile no Sambódromo. Para tentar resolver o impasse visto que Crivella disse ser impossível aumentar verba para as Escolas de Samba a prefeitura pretende lançar cotas de patrocínio para empresas particulares interessadas. O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba-LIESA Jorge Castanheira e diretores das agremiações estiveram reunidos em audiência pública na Câmara de Vereadores para tratar de verbas para Carnaval. As reuniões com prefeito Crivella para tentar resolver o impasse sobre as verbas para o Carnaval ainda não definiram a situação.  Para o presidente da Liga houve avanço nas negociações e nova reunião foi marcada para segunda feira 03/07 onde todos esperam que tudo seja resolvido.
 Corre nas redes sociais informação da Lupa que a RIOFILME órgão da Prefeitura vai financiar filme sobre a Saga do Bispo Edir Macedo fundador e dirigente máximo da Universal, notícia que desagrada muito os sambistas que se dizem prejudicados no impasse sobre o Carnaval e vai aumentar o dilema entre as ideias fundamentalistas do prefeito e as Escolas de Samba. As mais prejudicadas seriam as "escolas menores" que desfilam na Intendente Magalhães sonhando em um dia chegar à passarela do Samba.
Os componentes das Escolas de Samba que esperavam que semana passado seria resolvido o impasse sobre o corte de verbas para os desfiles de Carnaval ficaram decepcionados com as declarações de Crivella, que pela manhã em um evento  disse que não há possibilidade de aumentar a verba que foi reduzida pela metade e ainda fez piada sobre os pedidos. A LIESA então resolveu cancelar a reunião que não tem nova data definida.
 No sábado membros de várias Escolas de Samba fizeram protesto em frente à sede da Prefeitura do Rio de Janeiro contra atitude do prefeito Crivella que disse que vai cortar metade das verbas para o desfile de Carnaval. A atitude inesperada do prefeito Crivella revoltou os componentes das Escolas de Samba que alegam já ter feito um cronograma de custos para o Carnaval 2018. Revoltado o carnavalesco Laila diretor da Beija-Flor de Nilópolis disse que "Aqui no Samba não tem vagabundo nem ladrão" e concluiu afirmando que milhares de pessoas que trabalham nos barracões vão ficar ao desamparo. As mais prejudicadas vão ser as escolas "menores" que estão fora do Grupo de Elite, porque trabalham com verbas reduzidas e muitas vezes com colaboração total das escolas tradicionais.
 O sofrido cidadão carioca que conta os meses que antecedem a grande festa de fevereiro tem mais uma decepção, o prefeito Marcelo Crivella ameaça reduzir pela metade a verba destinada aos desfiles das Escolas de Samba, tradição cultural não só da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, mas que faz parte da cultura de todo Brasil. Em uma reação inusitada o Secretário de Conservação Municipal Rubens Teixeira postou que "O Desfile das Escolas de Samba era dirigido somente para um determinado grupo e não representa a vontade da maioria". A postagem nas redes sociais revoltou dirigentes das escolas.
 Acabou o diálogo entre a Liga Independente das Escolas de Samba-LIESA e a Prefeitura do Rio de Janeiro depois  que o comunicado do prefeito Marcelo Crivella que afirmou que vai cortar as verbas para o desfile das Escolas de Samba. O prefeito que parece não apreciar muito nosso Carnaval, disse que vai dar parte da verba, em torno de 50% para serem destinadas a creches. A manifestação programada para a tarde de sábado em frente à sede da Prefeitura na Cidade Nova se chama "Sambando Contra O Corte do Prefeito" e vai reunir em um mesmo objetivo Escolas de Samba rivais, em um protesto contra o que eles consideram um erro de avaliação e mesmo um descaso contra milhares (talvez milhões) de pessoas ligadas ao "Mundo do Samba".
Joãozinho 30 dedicou sua vida ao carnaval foto Alcyr Cavalcanti allrights reserved
 
A união entre agremiações de várias localidades vai mostrar a união para o objetivo comum que é a preservação dos desfiles, que já fazem parte de nossa cultura, além de uma enorme fonte de renda que beneficia a milhares de pessoas que vivem o Carnaval 365 dias por ano.
Não só as Escolas do Grupo Especial serão prejudicadas, mas também as do Grupo de Acesso e as que desfilam na Estrada Intendente Magalhães que sonham um dia conseguir chegar às luzes do Sambódromo, em uma transmissão que corre todo o planeta assistida por milhões de telespectadores. Pesquisei durante dois anos a ascensão de uma Escola de Samba desde seu nascimento na fusão de três blocos até a glória efêmera de pouco mais de uma hora de desfile, presenciei o esforço de seus componentes para superar todos os obstáculos e procurar fazer a melhor apresentação nas luzes da  Passarela do Samba. Uso a imagem de Joãozinho Trinta que deu sua vida para o Carnaval e foi um dos padrinhos da primeira fase da GRES Acadêmicos da Rocinha embora fosse o carnavalesco da Beija Flor de Nilópolis.
Postar um comentário

obras do pac

obras do pac
inicio de obras ao lado do ciep ayrton senna